Merry Merry Christmas~~~~ Oh, wait!

Hi everyone! Quanto tempo, né? Bem, eu só apareço por aqui para atualizar algumas fanfics, então me perdoem por isso. A verdade é que eu realmente não tenho o que falar, então não posto nada. lol Mas então, como vocês estão? Ansiosos para o fim do mundo? n E o natal, como vão os preparativos? Well, pra falar a verdade eu não ando ansiosa com nada. Só com o resultado do enem, mas isso não vem ao caso. A questão é que: O que é o natal? Qual seria o verdadeiro sentido e como se comemorar essa data tão lucrativa para o comércio mundial? Muitas pessoas usam dessa data para ceias em família, bebedeira, farras e afins. Porém, todas essas farras em nome do "nascimento do menino Jesus". Outras, usam dessa data para presentiar seus "ente queridos" e lhes desejar todas as felicidades do mundo, porém isso é feito com sinceridade? O que vemos hoje em dia são apenas falsidades e mais falsidades, pessoas se abraçando e ao mesmo tempo pensando em como passar por cima daquela que agora está em seus braços. Será que tudo que você faz em nome do nascimento do menino Jesus o agrada? Vejam bem, não estamos dizendo que saia por aí dando presentes a todos os pobres e que se desfaça de todos os bens, a questão é que se quer comemorar uma coisa em nome de alguém, que comemore em nome dEle mesmo. E também não estou dizendo que se você odeia a pessoa a qual recebeu o nome no 'amigo secreto' que você irá falar poucas e boas no momento da entrega de seu presente. Estou dizendo que se essa é uma data especial, que você ao menos tente que essa data se torne especial pra alguém. Faça com que seja realmente um dia de paz, alegria e felicidade para alguém. E isso não precisa ser feito com o presente mais caro da loja mais cara do shopping mais caro da cidade. Não force nada, não exija nada. Seja apenas você mesmo. Trate as pessoas como gostaria de ser tratado. E se mesmo assim as coisas ainda pesarem pra você, reveja seus conceitos. Não quer dizer que precise mudar seu jeito para que as pessoas te amem, mas pare e pense se aquilo que você faz não as magoa. Afinal, todo mundo tem o direito de ter um Feliz Natal, porém poucas são aquelas que fazem por onde que o seu seja realmente feliz. 
Kiss kiss and love, everybody~ 

Livros, tristezas, paixonites e... Morangos.

   Então galerô, tem um tempo que eu não venho por aqui falar sobre coisas ~pessoais~ não é mesmo? O engraçado é que eu só pareço me lembrar daqui quando eu estou meio emo, mas eu juro que é não por ai. xD Eu não sei ao certo o porquê de estar assim, vai ver é só saudade. Saudade essa que eu não faço ideia de quem ou do quê. Ou talvez eu saiba, mas não queira admitir pra mim mesma que estou sentindo isso. Outra coisa... Acho que as pessoas que convivem comigo, já devem ter percebido que a pessoa que vos fala anda meio que... in love.  Vejam bem, não é algo que eu controlo ok. Se fosse assim, eu daria um jeito de NÃO acontecer, porque sinceramente, a pior coisa que pode acontecer na vida de uma pessoa é ficar apaixonada. Pelo amor de Deus, a pessoa fica mais besta que o normal, rindo de tudo, sorrindo com tudo, feliz com tudo não no meu caso, he chega até a cansar ein. Mas no fundo... BEM no fundo, é legal ficar apaixonada, fala ai gente. O engraçado, pelo menos em mim, é que... O garoto não pode respirar e eu acho a coisa mais fofa do mundo. Percebam, eu sou realmente muito idiota. Bem, essa postagem não ficou lá das melhores, mas eu só a fiz porque estava com saudades de dar as caras por aqui. Ah, estou lendo Desventuras em Série. Vocês não tem noção de como esses livros são ótimos. A saga inteira tem 13 livros, e eu estou no segundo. Não me julguem, eu comecei ontem. E acreditem que logo logo terão textos sobre essa saga, eu prometo. Bem, eu vou ficando por aqui. Está tarde e eu preciso estudar, sos. Então é isso, lembrem-se de escovar os dentes antes de dormir e após as refeições, logo eu estatei de volta.
Ah, por que "morango" no título da postagem? Ontem comi bolinhos de morango com a Carla quando sai do cursinho. xD
Beijos, 
Thi. 

Passeando por Nárnia, Cair Paravel e as Ilhas Solitárias.


Recentemente eu tomei vergonha cara e voltei a ler a minha saga favorita, As Crônicas de Nárnia. Relaxei pelo fato de já ter visto todos os filmes e blábláblá. Mas enfim, ontem quando estava lendo o final do quarto livro da saga, Príncipe Caspian, vendo todo aquele discurso dos dois irmãos mais velhos sobre não poderem mais voltar ao país tão querido, me fez refletir em uma coisa: Todos nós, independentes da idade, temos uma Nárnia. Um país onde somos vistos, um lugar onde as pessoas se importam e sempre esperam o nosso melhor. Cada um de nós sempre foge pra esse lugar, para esse Nárnia sempre que pode. Afinal, não é todo dia que estamos com saco pra aturar tudo que acontece no mundo real. E assim, vivemos nossas aventuras, lutas e guerras ao lado de todas as criaturas para honrar o nome do seu país, e de Aslam. E então, como acontece com os mais velhos dos Penvensie, chega o momento em que precisamos crescer. O momento em que, aprendemos todas as lições que precisávamos aprender, ensinamos tudo aquilo que tínhamos que ensinar, e assim, deixamos Nárnia. Mas, nem todo mundo está pronto para essa mudança, nem todo mundo está pronto para crescer. Afinal, crescer é algo difícil, não? Ficamos adiando e adiando esse momento, afim de que ele nunca chegue, mas ele vai chegar, ele precisa chegar. Por mais que estar em Nárnia seja a melhor coisa que te possa acontecer, por mais que ser criança seja a melhor fase da sua vida, ela precisa acabar. Desapontados, porém conformados, todos nós deixamos o nosso lugar favorito, o nosso lugar onde ninguém pode nos desapontar e nos dizer o que fazer. Mas isso não quer dizer que nossa Nárnia, ira nos abandonar. Afinal, ela nos deixa histórias para contarmos ao nossos filhos e netos. Para que eles, assim como nós, criem o seu próprio lugarzinho e possa viver todas as aventuras que nós vivemos. Deixar Nárnia não é algo fácil, mas é necessário. Não significa que assim que a deixe, você irá esquecê-la rapidamente. Pois tudo que é bom e que passa, deixa uma saudade incrivelmente grande. Então, o que nos resta é aproveitar enquanto estiver no seu reinado. Andar a cavalo entre as árvores dançantes e as dríades cantarolando pela floresta. Passar na casa do Senhor Tuminus para um chá, ou passar a tarde conversando sobre os humanos ao lado de Caça-Trufas. Muitas pessoas gostam de usar o termo “Viva a vida intensamente” eu digo, viva a vida da forma mais narniana possível, porque um dia, infelizmente, um dia você irá crescer e nunca mais voltar. Restando apenas as suas memórias, e a sua imensa vontade de estar lá mais uma vez, nem que seja por alguns minutos.

~Não achei título apropriado~

         Sabe, quando conhecemos uma pessoa, temos dois tipos de pensamento. O primeiro é de que a pessoa é tão legal que aquela amizade poderia durar a vida toda. Talvez pra sempre, se o tal existisse. A gente se empolga e passa a “viver” completamente para aquela pessoa e ela vai lá e te decepciona. Não se dando ao trabalho de dizer um simples e mísero “me desculpe”. O segundo é de que não vai durar, talvez não passe de um ano ou dois. A pessoa pode até ser legal, mas não tanto pra uma amizade duradoura. Daí a pessoa vai lá e te surpreende. Sem que você perceba ela passa a estar em todos os momentos importantes – ou não – da sua vida. Sem que você perceba ela está pra te ajudar, você querendo ou não.
         Digamos que quando te conheci eu tive o segundo pensamento. Pra mim, nossa relação não passaria de escritora e beta. Eu escrevia e você apontaria meus erros, eu consertaria e fim. Pra que mais, não? Então digamos que eu não me importava no inicio de você gostar mim ou não, afinal se não desse certo eu tinha um lista pra escolher outra, certo? Errado. Porque nenhuma outra pessoa seria como você. Nenhuma outra pessoa iria ameaçar os idiotas da vida que me deixam irritada/triste. Nenhuma outra pessoa surtaria comigo com alguma fic, roupa, sapato, vídeos e etc. Nenhuma outra pessoa poderia me chamar de “brigadeiro” – sei que sou um doce n – Sabe por quê? Porque só você sabe fazer isso, e por mais que eu tenha outros – poucos – amigos, ninguém consegue me animar e me proteger como você, claro que eles também conseguem me fazer rir e me animar, mas do jeito que você consegue, não.
         Então Priscila Maria, obrigada por ser quem você é! Obrigada por se importar comigo. Não foi por acaso que eu joguei o uni duni tê na hora de escolher a beta e caiu no seu e-mail. Com você eu aprendi que não devo me antecipar e pensar se uma amizade vai durar ou não, é só deixar que com o tempo a gente descobre. Obrigada mais uma vez por estar aqui. Eu te amo e nunca duvide disso.
One Year, unnie.
14/03/2012

Então fia, você sabe que eu nem entro mais aqui, but vou voltar a usá-lo por sua causa. ♥ Espero que tenha gosta e tal, até que eu consegui postar a tempo, e me perdoe se ficou ruim. ;;