Natal com os 'Barbosa' ♥

Olha só, eu de novo! E dois dias seguidos, acho que é o fim do mundo. Jesus já está a caminho! Anyway, vim abrir um pequeno espaço e falar da minha vida pessoal com mais detalhes, sendo mais específica, a noite de ontem. Foi a primeira vez que passei o natal longe da família da minha mãe e foi bem estranho pra mim de início, confesso. Eu estava me sentindo meio deslocada já que a única pessoa 'do meu sangue' que estava lá além de mim era o meu pai. Nós passamos na casa do grande amigo da família, Jorge Barbosa, pai da Lari, moça que eu moro por conta da faculdade (acho que todo mundo já sabe de toda essa ladainha de faculdade longe de casa, etc). Mas esse deslocamento foi por pouco tempo, logo eu me encontrava aos papos com a maioria das pessoas e meu pai estava por ali, conversando com os mais velhos.


O amigo secreto! Uma das razões para que estivesse me sentindo desconfortável era o fato de mal conhecer ninguém, exceto Lari e as crianças (Vejam a minha cara de tia que adorável ♥), mas todos me recebem muito bem desde o dia catorze de setembro, que foi quando eu me mudei pra casa da Lari. Dona Talita Kizzy foi quem tirou o meu nome e estava toda receosa porque o meu presente não havia chegado a tempo dos correios. Com direito a discurso, ainda recebi um "A pessoa é tão especial que o presente veio de longe", descobri através dos meus informantes (Tiago, esposo dela e ótima fonte) que o objeto em questão é nada mais, nada menos que: Alice no país das Maravilhas, de Lewis Carroll. o que eu tenho a dizer? QUE ESPERO TODO O TEMPO DO MUNDO POR ESSE LIVRO LINDO, GENTE DO CÉU. Sério. Vocês não sabem o quanto eu fiquei feliz por saber que ela se esforçou pra comprar o livro que eu tinha comentado em um almoço aí com todo mundo junto. E o tempo que ele não chega eu vou lendo a menina que roubava livros. ♥ E minha amiga secreta foi nossa querida Letícia, filha da Talita! Coisa linda, adoro essa menina, gente. Sério. Com a metade da minha idade, tem o dobro de coragem que eu, vê se pode! Toda desinibida, me conquistou desde o dia que foi me dar sobremesa. "Ei, moça! Toma, ó. Sorvete! Mas sai desse computador, ô! Venha conversar!" hahaha Adorei mesmo ter tirado ela e fiquei triste por não conseguir comprar o dvd de chiquititas que ela tanto queria. E AH, aconteceu algo muito engraçado: O papai e o Jorge se tiraram e, o melhor, ficaram por último! A Lari havia começado e quando a Débora (mãe dela) disse que havia tirado o nome dela, todo mundo ficou com uma grande interrogação na testa e os dois se olharam e riram. "Os baianos pretos se tiraram" foram as palavras de Lirian e é a mais pura verdade. O fato de terem sido os últimos foi ótimo porque a euforia ofuscou o discurso que meu pai faria e que, provavelmente, seria muito longo. Apenas digo: Obrigada, destino.

Presentes, presentes, presentes! ♥ Eloanne e sua querida mãe Eloísa se esforçaram ao máximo pra terminarem de fazer (SIM, FAZER) o lindo do Sr. Cup a tempo para que eu pudesse viajar! Cara... obrigada, sério! Eu adorei e desculpa se não me expressei como deveria, eu estava doente e raciocinando menos que o normal, sabe como é. Jorge fez aquele discurso sobre a minha pessoa passar o dia no notebook e/ou no celular e me deu um livro de bolso do Max Lucado, o qual eu simplesmente adorei! "Vamos ver se agora você sai desse computador" foram suas palavras. Mas que coisa! Não tenho culpa se eu sou uma blogueira, né gente? (cof cof posta duas vezes na semana cof cof) e Talita me deu uma caixa de bombons como prêmio de consolação pela falta do livro e cara, que linda! Não vou dizer que não precisava porque faz tempo que eu não compro bombons e veio em boa hora. Mas digo que foi lindo da parte dela se preocupar com isso e quero dizer de novo TENHO UMA EDIÇÃO ALICE A CAMINHO! Cara, até deu vontade de chorar agora, porque olha... Enfim, né!

Pois bem, esse foi meu natal! No final de tudo, Letícia, Joyce e eu dançamos 'Just Dance 4' e, para a surpresa de ninguém, eu perdi! Teve uma hora que eu até desisti da vida e larguei o jogo no meio porque estava fazendo vergonha a Lelê com o dobro de pontuação. Como diria o Tiago "Carla, como dançarina você é uma ótima jornalista" e eu concordo com ele, sério. Ao que parece tem alguns vídeos das humilhações de ontem, mas manteremos estes longe das redes sociais por motivos óbvios. Teve aquela preocupação básica com o Gustavo que ficou doente na segunda e ontem deu uma piorada considerável, precisando ir pro hospital logo depois da ceia e só ser liberado hoje pela manhã, mas hoje já está tudo bem, correndo e vendo power rangers no computador como é o seu normal! ♥ Agora eu estou em casa (qual delas?) morrendo de calor e me preparando para sair de última hora com as amigas que me ligaram AGORA! Devo matar agora ou depois? Pois é. 
Ah, e a TARDIS! Como eu pude me esquecer dela?
Pois bem, dia 19/12 foi aniversário da digníssima Eloanne (por mais que eu sempre ache que é dia 23, não sei porquê) e eu tinha planejado algo muito mais legal pra dar de presente, só que tive um pequeno probleminha que aTalita também teve: Correios. Se eu comprasse o que eu queria, com os feriados e tudo mais, só chegaria no meio de janeiro e desisti. A querida soltou um "cara, vi umas canecas tão legais" e PÁ, fui no titio google, arrumei uma fanart super cool do Doctor Who e uma TARDIS foi feita. Milena e eu tomamos uma chuvarada pra buscar essa caneca a qual me presentou com uma mini gripe que se esvaiu na terça de manhã, graças ao nosso bom Jesus. Ficou um amor, né? Ai, eu achei. ♥ E ainda tivemos o nosso Mike Wasowski como brinde na foto, ó só.

 Acho que já falei demais, né? Sim, falei.
Domingo (ou antes? Não sei) eu estou de volta com capítulo IV de First Love.
See ya~

Merry Merry Christmas!


E aí, como está todo mundo nessa véspera de natal? Devo dizer que estou... preguiçosa, pois é! As coisas por aqui já estão quase prontas, tudo muito arrumado, só preciso conter minha curiosidade de saber quem pegou o meu nome no amigo secreto e descobrir quem o meu querido pai tirou, pois é. Que homem sigiloso, o que custa me contar? ): Pior que eu que comprei o presente pra ele e mesmo assim não consigo saber quem foi. Pô, Thiarlley! Pelo menos o dia da entrega é hoje e não vou precisar apelar pra chantagem. (Se bem que eu já apelei, mas tá.)

Mais um projeto sendo iniciado no nosso querido Running! Porão da leitura tem sua pré-estréia no dia de hoje, explicando como funciona o projeto de podcast e alguns agradecimentos aos nosso queridos seguidores e, até mesmo, colaboradores do blog! Obrigada a todos os lindos que estiveram por aqui durante esse ano, lendo, comentando, ajudando, divulgando e dando aquelas ideias marotas ao nosso querido Just Running Away. ♡ Bom, eu sofri e padeci com os sites para upload e no final perdi! Por isso, o nosso podcast inicial será flopadinho, mas eu prometo melhorar, sério! Era pra postagem ter saído durante a tarde, mas não deu por conta disso.  Ah e eu errei! São 55 curtidas e não 52, sorry e OBRIGADA, SEUS LINDOS! 
Ah, e a lista de presentes é só chegar no inbox que a gente bate aquele papo maroto e discute isso aí, right? :P



Anyway, o que mais posso dizer? Merry Christmas, everybody! 

Mudei!

E aí, gente!
Como estão todos vocês? Eu estou ótima, o motivo? FÉRIASSS!! Finalmente, eu já estava achando que chegava o apocalipse zumbi e não chegavam essas férias. Falando em zumbis, estava conversando com o meu primo esses dias e ele disse que se passássemos por um ataque ao estilo TWD ou eu seria a primeira a morrer, ou eu seria aquelas sobreviventes que atrapalham tudo, tropeçando e caindo, obrigando os outros a voltarem. Ah, a família.



Pois bem, o modelo novo! Ai, gente. Concordem comigo que ele é muito lindo! Eu estava pensando em mudar só mês que vem que é quando o running faz quatro aninhos (oficiais e com postagens decentes. hue), mas eu não me aguentei! Sem contar que eu estava me sentindo muito noob com o outro theme, sei lá. Me julguem. E o melhor da noite: O HTML NÃO DEU BUG! Gente, tem coisa mais linda? Ai, não tem! 
Para o dia de hoje temos o segundo capítulo de First Love fresquinho como prometido pra vocês! Queria dizer a nossa querida Rafaella que é uma injustiça ela ter lido e não ter comentado, tá? Se não me falasse eu nunca ia ficar sabendo que você estava lendo, tá? Pra nossa queria Sami do Olympo aquele abraço maravilhoso por ter lido, comentado e divulgado! E, é claro, Priscilíssima, essa linda que divulgou nosso projeto de imagens por aí e já nos rendeu participantes! Falando nele, já deram aquela passadinha? Não? É só clicar lá e saber como participar! 
No mais, eu fico por aqui! 
See ya~

FIRST LOVE;

E o dia tão esperado ao menos por mim chegou!

          É com grande alegria que venho até aqui hoje, no dia oito de dezembro, trazer o primeiro capítulo da história dos nossos queridos bochechudos, Henry Lau e Hyerin Oh. Provavelmente se sentirão familiarizados com uma certa lembrança, mas nada que vá matar vocês ou coisa do tipo! Enfim, vou ficar por aqui antes que eu fale demais! A atualização da fanfic ocorrerá aos domingos e qualquer alteração será avisada na página do facebook! Aproveitem. 

Capa feita por Priscila Santos.
 Título: First Love (Primeiro amor);
Quantidade de capítulos: 7 + epílogo
Gênero: Romance, Comédia.
Ano: 2013/2014
Classificação: Livre.
Universo que se passa a história: Toronto, Canadá — dias atuais.
Aviso: Henry Lau (Super Junior M) x Hyerin Oh (Raina - After School) como casal principal, mas eles não são famosos como na realidade.

[I] [II] [III] [IV] [V] [VI] [VII + EPÍLOGO]

Ás vezes fico tão curioso sobre você, sobre o que você se tornou.
Ás vezes penso em você, sinto tanto a sua falta.
O que estaria fazendo agora?
Primeiro amor, meu amor inesquecível,
Eu sou o único que ainda se lembra? Chamar-te-ei desesperadamente,
Até que eu possa te encontrar e te ter novamente.
Pra sempre.

Baseado em First Love –  After School.

sequências & spin-offs

Capa por Eloanne Cerqueira
Resumo: Era seu segundo aniversário ao lado da esposa 
e ela havia planejado tudo para ser uma noite perfeita. Ela só não contava com tantos imprevistos.
Gênero: Romance.
Classificação: Livre.Aviso: Narrada em 3ª pessoa; 

Resumo: Era seu primeiro aniversário com a nova membro da família 
e ela voltava para casa maquinando as mais variadas formas de ganhar uma surpresa. Mal sabia ela...
Gênero: Romance.
Classificação: Livre.
Aviso: Narrada em 3ª pessoa

#TOPNEWS



Os blogs O Cara do Espelho e Just Running Away trazem uma edição especial com uma entrevista exclusiva do fenômeno pop Paolo e ainda um e-mail de um leitor contando uma história curiosa.

Entrevista Exclusiva com o cantor Paolo

Teaser, provas e agradecimentos!

Faculdade, ela não é de Deus.
Sério mesmo, estou aqui nesse momento sem saber se rio ou se choro da minha própria desgraça. O bom é que um dos piores trabalhos já está pronto (ao menos a minha parte) e estou pensando seriamente em gritar para os quatro ventos que estou livre de Semiótica. Mas vamos lá, o último teaser da nova fanfiction! Gente, falando sério, foi sofrido. Passei torno de seis dias sem internet e dediquei parte deles para a edição do vídeozinho que logo menos postarei pra vocês. Foram três editores de vídeos baixados (Adobe Premiere me odeia) para no final eu voltar para o lindo do Movie Maker e conseguir editar tudo dentro do ônibus dos estudantes à caminho da faculdade, pois é. Sinceramente, eu estou orgulhosa. 



Estou orgulhosa e não só de mim por ter tido a ideia e corrido atrás. Estou orgulhosa pelo meu elenco ter aceitado logo de cara participar disso! Estou orgulhosa de Diogo, que me fez chorar com seus áudios tao bem falados, na entonação perfeita e sem nenhum ruído. Estou orgulhosa de Carolina, mãe e estudante ocupada que dedicou parte do seu precioso tempo para parar e gravar não só o seu, como o áudio do nosso pequeno Henry, o Davi. Estou orgulhosa de Davi e Lunna, meus pequeninos que venceram a timidez e falaram perfeitamente o que lhes foi pedido e logo depois passaram o dia todo repetindo suas falas. Luyne, meu bem como fiquei no seu pé pra conseguir a voz da sua irmã, não foi? Obrigada por me aturar, de verdade. Sayuri, ah Sayuri... como a gente sofreu pra conseguir um gravador decente!Sua voz baixa, mal conseguia ser detectada pelo programa e nós duas receosas com o que viriam a acontecer. Mas olha só, num é que deu certo? E quem melhor pra fazer aquele amigo filho da puta do que você, não é Jhônatas? Eu sinceramente pensei que não conseguiria fazer com que você gravasse, por isso seu nome estava com "maybe" no script, mas isso não significa que você era uma possível opção, seu moço! Deixe de drama! Literalmente, esse trailer não teria sido nada sem a ajuda de todos vocês! O meu simples e sincero: Obrigada. Só lhes digo que da próxima vez, eu os convocarei de novo.

E é com os olhos brilhando e um sorriso de orelha a orelha que trago o tão trabalhoso e esperado book trailer.


E domingo que vem o primeiro capítulo estará aqui, fresquinho para todos vocês! E a expectativa, como está? Espero que a de vocês esteja bem maior que a minha, hahaha.
See ya.

First Love — #TEASER2


Ás vezes fico tão curioso sobre você, sobre o que você se tornou. 
Ás vezes penso em você, sinto tanto a sua falta.
 O que estaria fazendo agora? 
Primeiro amor, meu amor inesquecível, Eu sou o único que ainda se lembra? 
Chamar-te-ei desesperadamente, Até que eu possa te encontrar e te ter novamente. 
Pra sempre. 
Baseado em First Love – After School.

First Love — #TEASER1















Talvez você não se lembre; 
Talvez você sequer exista mais... por mais doloroso que me seja pensar nessa possibilidade;
É estranho, até ontem você era só uma memória esquecida; 
E agora... agora é como se eu não pudesse mais ficar longe de você, mesmo que eu não saiba como é seu rosto hoje, o que você se tornou.
Oh my first love... Where are you now?

Coming Soon...

Projetos, projetos, projetos e AH! Mais projetos!

Pra você que mora ou está de passagem por Volgogrado/Rússia, bom dia! :D 

Mas não foi pra falar de fuso-horários que eu vim até aqui. Gente, quase um mês, né? E eu nem tive tanta coisa de importante pra fazer, era só preguiça mesmo! Porém não pensem que eu sou uma pessoa desocupada e gorda que passa o dia comendo e jogando Pou no celular porque nem desse jogo eu gosto, prefiro Fruit Ninja. Muita coisa foi pensada e até inciada por esses dias, então podem vir aqui me abraçar.
Estou com inúmeros projetos desde o dia que reativei o running pela 345634552345 vez e alguns deles quase prontinhos para serem postados aqui para a alegria de vocês – e a minha. Dois deles, é claro, são fanfictions minhas as quais se tudo der certo, logo teremos impressas e com capa dura. Isso mesmo, de acordo com meus cálculos, logo logo teremos um livro publicado. Papai me julguem, chamo assim mesmo está me dando total apoio, até cobrando capítulos mais do que vocês, olha isso! Mas não foi pra falar de futuros livros e sonhos que eu vim até aqui.

Vamos aos projetos e seus nomes:

  • Fanfiction "First Love"
Na postagem do dia das crianças vocês puderam ler uma espécie de flashback do nosso casal preferido, Henry Lau e Oh Hyerin. Os devaneios foram além da lembrança do rapaz e resultaram em algo bem maior que duas páginas, pois é. A fanfic terá uma espécie de teasers na página do Facebook e aqui mesmo no Running. A quantidade de capítulos ainda não está definida, mas creio que terá entre cinco a sete, mais ou menos. A história se passa no Canadá.

  • Fanfiction "The music between us"
Olha, essa ainda é uma coisa meio complicada, mas vai sair. A história é velha, comecei em julho desse ano. Apenas três capítulos estão prontos, mas eu fico babando nos mesmos como uma mãe fica ao ver seu filho brincar com lego. O casal bochechas de sempre são os nossos protagonistas, e apesar de também se passar no Canadá, essa não tem nenhuma ligação com First Love. Os personagens só tem os mesmos nomes, e consequentemente as mesmas características, mas nada que envolva a outra fanfiction. Mesmo tendo a música com base da história, não é um High School Musical da vida onde se canta quando acorda ou quando está com fome todos começam a fazer coreografias malucas e sincronizadas sem nunca terem ensaiado. (Nada contra HSM, todos sabem que foi meu amor de infância ♥) Nos momentos que as músicas são citadas é porque são realmente cantadas e ouvidas por todos os presentes. É o projeto que tende a demorar um pouco mais que o previsto, já que a escritora tende a querer tudo perfeito demais e atrasa. Tsc tsc.


  •  #PorãoDaLeitura
Certo, eu vou explicar. Algum tempo atrás eu pensei em criar um vlog, mas as circunstâncias da vida me fizeram desistir (sem câmera decente, pois é). O nome seria "Porão da Leitura" e nele falaria sobre Livros e/ou Fanfictions de diversos autores e autoras, dando minha opinião sobre a história em si, pontos negativos e positivos, como uma crítica. A ideia foi meio que esquecida e agora reformulada: Podcasts (Todo mundo sabe o que é, né? É áudio, seus lindos. ♥) Sendo até duas fanfics curtas por Podcast, para não ficar cansativo! Então, enviem suas sugestões de fics via facebook, twitter, e-mail, sinal de fumaça, o que quiserem! E logo logo o Porão da leitura estará debutando aqui no Running para vocês.

Por hoje é só isso, gente! Os demais projetos ainda não foram bem pensados ou estão precisando de uma rearrumada, o que dá no mesmo da frase anterior, se a gente for analisar. Estou indo por agora, já já estarei postando o primeiro teaser de first love.  Escutem Nickelback porque essa banda é a melhor existente nessa vida, pois é.
See ya~

— Especial Dia das Crianças;


Sim, eu sei que faz uma semana desde o dia das crianças, não precisam esfregar isso na minha cara. Mas eu tive contratempos, as usual. Enfim, aproveitando o dia de folga antes de começar a estudar para a última prova da unidade malditas sejam as provas distantes umas das outras e me veio a ideia de escrever algo para esse dia o qual tão foi lembrado pela galera do facebook. Aliás, gente como vocês eram fofinhos quando criança, viu? Meu Deus do céu, quero apertar todos vocês. Até eu era uma fofura quando criança, apesar de sofrer extremo bullying da minha irmã mais velha a qual me chamava carinhosamente de 'cabelinho de fogo' por ter os cachos mais claros nas pontas como tá aí na foto. Sofrida essa vida, viu. Falando em foto, uma pequena demonstração de como eu era uma coisa apertável e que sempre tive cara de sapeca (no bom sentido, pfvr). Daora que uma amiga (Salve Eloane) minha viu essa foto e disse "Olha, você sendo você com quatro anos" não entendi muito bem o que ela quis dizer, mas eu levei como elogio.

Enfim, a fanfic nova, sendo esta bem fluffy, trata de um pequenino garoto de seis anos contando a sua mãe sobre seu primeiro amor. E confesso que enquanto escrevia tive vontade de ter filhos pela primeira vez na vida. Não sei se foi a fofura dele ou o simples fato de ser o Henry quando criança, só sei que fiquei muito "ai meus feelings" com essa fanfic. E, por mais que a maioria fique "Ah, colocou romance numa criança de seis anos, que coisa chata" todo mundo sabe o quão fofo e inocente é o amor de uma criança e por isso foi o tema que eu escolhi. Julguem o quanto quiserem. 

No mais, fiquem com o primeiro amor de Henry Lau. ♥♥

— Just the rain


Chuva é uma coisa até engraçada. Quando chove, é como se todos os sentimentos que você insiste em guardar no baú mais profundo e dentro de si, simplesmente viessem à tona, todos de vez. Bate aquela nostalgia inexplicável, uma sensação gostosa. O cheiro de terra molhada tão cantado por Sandy e Júnior remete a infância, correr em meio à chuva de verão, com os pés descalços e sorrisos adornados nos lábios e as mães gritando as inúmeras consequências que aquela simples diversão causará. Chuva pode lembrar momentos de angústia, tristeza. Sentimento de perda, abandono, solidão. Chuva acompanhada daquele friozinho e uma boa xícara de café dá uma sensação tão boa, de aconchego. Depois de uma tarde de calor dá sensação de alívio. Com trovões e relâmpagos, causa medo. Na seca, renova as esperanças de um povo que tanto esperou. Chuva, ah chuva... Mal sabes o valor que tens. Mal sabes a culpa que carregas por tanto que fez, faz e há de fazer. 
 Chuva, ah doce chuva.

— Happy 2 years, sweet;

Cara, acredita que eu esqueci? Sem brincadeira. Semana passada eu até lembrei e pensei “Aproveitar e fazer algo decente/bonito e com tempo dessa vez” pffff esqueci de novo, vê se pode. Mas enfim né, são DOIS ANOS já! Por mais que algumas vezes eu tenha a impressão que são cinco ou mais, sério. A gente se conhece tão bem, né? O suficiente pra saber consolar quando nem se sabe a razão do problema, o suficiente pra saber o motivo de uma felicidade sem que a outra conte o que  aconteceu. E não, não estou falando de como somos stalkers, porque isso ninguém supera. Hahaha É engraçado porque nós sempre inventamos coisas sem medo do flop, e quase sempre, ou sempre, flopamos. Mas não é como se fizesse muita diferença. A graça não é brilhar ou flopar e sim o fato de que fizemos juntas.  Obrigada, Helena. Você realmente não faz ideia de como me faz bem, mesmo nas pequenas coisas. Você não faz ideia do quanto é importante pra mim, principalmente pelo seu apoio em todos os momentos que eu precisei e preciso. Obrigada por cumprir o significado de uma amiga, quando a maioria nem mesmo sabe o que essa palavra deveria significar. Obrigada por não me deixar cair, obrigada por ser quem você é. A garota dos parênteses cheios de veneno. A menina cheia de ideias para fanfics, mas com preguiça demais para escrevê-las. A melhor dançarina que eu conheço (logo depois de mim, é claro. n). A garota dos inúmeros cursos extra curriculares que dorme no ônibus entre uma aula e outra. A pessoa que “se recusa” a determinadas coisas que vê por aí. A minha irmã mais nova a distância. Feliz dois anos de amizade, Omma! Tenha plena certeza de que cheeks ama você.
I think I know the pain you felt
Finally, finally
I can feel everything you felt
Now, I can feel y o u r heart
Timeless – JungAh and Raina;

Aniversariantes da semana!

Belo início de tarde pra quem tem um lugar fresco pra ficar! Porque caso contrário vai morrer de calor, viu. Aliás, acho que não comuniquei ainda, que cabeça a minha. Estou morando em Aracaju, gente. FINALLY! NO BUS ANYMORE! Mentira, eu pego ônibus sim, mas são só vinte minutinhos, um nada comparando com as duas horas e meia de antes, pois é. O que me dá muito mais tempo pra comer e pra pensar/escrever fanfictions novas. Eu só não digo que é o paraíso porque eu ainda preciso estudar, mas tá.
Enfim, a postagem de hoje, totalmente fora dos dias de atualização vem parabenizar duas pessoinhas lindas (Thainá, não tô falando de você) que fizeram aniversário nos dias quatro e seis de outubro. Eu deveria estar fazendo isso via facebook/twitter/whatsapp/a porra toda, mas resolvi fazer aqui mesmo. (Tudo por propaganda, nem se iludam. zoa )

04.10 - Bianca Araújo
"É o seu aniversário e nós queremos lhes saudar, desejos de rainhas devem se realizar~~" ÓBVIO que eu ia cantar barbie pra você, né. Nada melhor pra representar nossa amizade do que a boneca mais famosa do mundo! Cara, são quase... DEZ ANOS! Dez anos de muita história pra contar, de muito desfile, de muito casamento de barbie e o MaxSteel do seu irmão, muito restaurante e muito, muito riso! Sinceramente, eu tive a melhor infância do mundo, principalmente pelo fato de ter tido você nela. Você sabe, eu já falei isso tudo no instagram e tudo mais, porém eu precisava falar de novo. Parece que o fato de ter saído do ensino médio primeiro nos separou um pouco, né. Depois veio a falta de tempo da faculdade, e agora a mudança. Eu, sinceramente, espero que isso não mude em nada e sei que você também não. É notável quando a gente se encontra que é tudo como nos velhos tempos. Então Bianca, queria que você soubesse que eu amo você. E sei que posso contar com você pra tudo, assim como você sabe que pode contar comigo para o que precisar. Aquele colarzinho lá, eu coloquei que foi em 2007, mas foi mesmo? hahaha eu não lembro, é como se você já tivesse do meu lado desde sempre, lembrar datas fica algo meio complicado, pois é. Mas ó, nada mudou. Eu posso estar morando na China (Sem piadinhas, ok) e você, sei lá, Inglaterra (Mcfly sdds) e nós continuaremos as mesmas melhores amigas de 2004, right? Happy Birthday, bff. ♥



06.10 - Thainá Valadares Andrade
E aí, você não sabe a informação inútil que eu lembrei agora! Você tá fazendo 25 anos, que foi justamente a data que você casou, olha só! Ok, mas idiotices a parte, engraçado que a distância nos fez mais próximas, olha a ironia? E confesso que diante de toda a bagunça que estão as coisas, eu não esperava o apoio que você está me dando. Sei lá, não só pelo fato da distância em si, mas por todas as circunstâncias e tal, mas enfim. Me surpreendi muito e agradeço mais ainda por estar do meu lado. Obrigada por ser a irmã mais velha que quase ninguém pediu a Deus. Sério, essa coisa de ser certinha as vezes cansa. As vezes não, sempre. E eu lembro que quando te falei sobre seguir seu exemplo, você disse que eu tinha escolhido a pessoa errada. Hm, eu acho que não, hein. Tenho plena certeza que escolhi certo sim.  E, mesmo com todas as desavenças, sendo elas as comuns ou não, você sabe que eu te amo e eu sei que você me ama também. Tenho até provas disso, há. Te desejo o melhor aniversário do mundo, sei que você está tendo o que sempre quis nesse seu primeiro aninho de casa, já está treinando a maternidade para ter filhos! Julião Petruquio que o diga, não é? Espero de todo meu coração que tudo na sua vida seja da forma que você deseja, que todos os seus sonhos se realizem, inclusive aquele de cantar ao lado de Joelma e Calypso. (Precisei, dsclp. Ninguém mandou morar no Pará xD) Eu já disse, mas digo de novo: Eu te amo, mais do que você imagina. Feliz aniversário, maninha. ♥ Viu a ênfase no seu novo sobrenome lá em cima? É porque eu sou idiota mesmo, e esse ~Andrade~ depois do nosso sobrenome dá uma moral da porra, hein. 

Revirando o baú eletrônico!

Engraçado que quando não se tem nada pra postar, a gente sempre recorre a textos antigos e sempre acha algo muito bom e que ninguém ficou sabendo. E então, enquanto procurava alguma coisa pra reler quando pá! encontrei uma fanfic escrita a mais de um mês atrás! Na verdade, escrevê-la foi algo engraçado. Cheguei no facebook e simplesmente chamei minha querida companheira de fé Priscila () para escrever uma história em pouco mais de uma hora! E o mais irônico é que no meu caso, as histórias pensadas sobre pressão e/ou escritas em um único take são melhores do que as pensadas com antecedência e escritas com calma. Qual o problema comigo? Deve ser por isso que eu não me dou bem com longfics, tudo faz sentido agora. 
Anyway, explicando a fanfic... Juro que era pra ser algo feliz, gente. Sério mesmo. Na verdade, era pra ser um draminha besta aqui, outro ali e todos alegres em um cadillac sem rumo para um final feliz. Bom, o final foi feliz, tá. Não matei ninguém ou coloquei e doença terminal. Mas, segundo da ganhadora da fiction, ela chorou. Se bem que Priscila não é lá muita referência porque ela chora até com comercial de margarina, então ignorem o aviso. I can't be happy alone é o clichê sobre viagens que deveriam separar um casal. Sobre o que os outros pensam e seus julgamentos desnecessários sobre algo que não é da conta deles. E, por mais estranho que seja aos olhos da maioria, eu gostei dela. Eu sei, estou gostando das minhas fanfics novas, claps. E por último, mas não o menos importante: Há uma segunda fanfic, no ponto de vista de Bessie, personagem secundária. Porém não faz lá muita diferença, então era continua guardada no baú eletrônico da vida. So, this is it? Yep, just it. 

Sonhei com umas coisas legais ontem, mas foi tão romance que me recuso a escrever. Saudades sonhos psicodélicos, sério. Aliás, ideias loucas são muito bem vindas. E com ideias loucas I mean loucas MESMO. Tô numa vibe de escrever fantasia, então me ajudem. 

Desafio das imagens — Achado;



                E aí gentea maravilhosa, estão todos bem? Eu diria que estou vivendo, mas isso todo mundo está! lol Enfim, hoje eu vim postar aqui uma coisa que tentei fazer nas férias e não deu certo! Inventado por mim, o "desafio das imagens" é bem simples: Escolher uma foto totalmente aleatória e escrever um texto com base nela. A imagem pode ser o ponto de partida ou o final da história, cabe ao autor decidir! E aí pensei em fazer nas férias uma por dia e tal, mas sabe como é... preguiça! Bem, depois de séculos meses eu resolvi colocar em prática! Gostei do resultado, por mais parte avulsa de fanfic esse texto tenha ficado, mas nem tudo são flores e estamos conformados! Sem mais delongas, tá aí e eu espero que todos gostem! :D Ah, semana que vem tem prova, torçam por mim, hein? Fighting! haha xx



WE'RE AFTER SCHOOL!

Não pensem que eu já estou deixando meu blog de lado, tá? Eu sei que falhei essa semana, mas eu realmente não estava com cabeça pra pensar em nada legal para postar! Na verdade ainda está complicado, mas a gente se vira! Enfim, eu - como uma boa fã que sou - preparei pra hoje uma "retrospectiva" do meu grupo coreano favorito, After School! Entre aspas porque não vou começar do primeiro single do grupo, mas sim de onde eu conheci até os dias atuais. Também não estou contando com a subnit Orange Caramel e os lançamentos japoneses. Isso é conteúdo para três postagens ou até mais! haha
Espero que até aqueles que não conhece k-pop possam se interessar pelo que minhas meninas tem a oferecer com a música delas. Sem mais, espero que gostem e qualquer dúvida (e/ou link de mais alguma coisa) é só ir nos comentários.

Nova fanfiction: I still love you.

Eu sei que não é domingo ainda e eu sei que eu deveria estar na faculdade, pois é. Mas umas confusões com trânsito, manifestações, saídas da cidade fechadas e tudo mais me fizeram ficar em casa (e perder meio ponto da aula de hoje, sofrível) e por isso estou aqui adiantando uma postagem pra vocês. ♥ Só queria expressar minha imensa felicidade sobre meu lado consumista, já que meu celular novo já está nas minhas lindas mãos. Olha, vocês não sabem a dor de cabeça e o perrengue que eu passei com essa venda do celular antigo/compra do novo. Mas no final das coisas deu tudo certo. (Não muito, eu ia fazer resolver umas coisas a respeito disso hoje, mas aí não fui na aula... ) Enfim! 
Vamos falar sobre a nova fiction! A ideia me surgiu por conta de um plot de rpg real life que eu fiz. Minha personagem lá no jogo se chama Hyerin e ela teve alguns problemas com uma pessoa. De início coloquei esses problemas só pra dar um drama na história dela mesmo, mas aí, em meio as duas horas de viagem pra casa (essa vida sofrida de estudante :/) me fizeram pensar em um jeito de resolver esses problemas dela com o... cara. Bom, ficou bem curtinha e o título significa "eu ainda amo você". Estou feliz porque eu consegui fazer um certo "mistério" e todas as quatro pessoas que já leram deduziram inúmeras coisas, menos o que realmente está na história. Eu me senti o máximo, nada me abala mais! (Mentira, abala sim, mas tá.)
Anyway, é só isso. É um drama básico e eu estou adorando escrever drama, por mais que eu chore na maioria das vezes em que escrevo. Mas são consequências de uma manteiga derretida. No mais, fiquem a vontade para ler I still love you, e o draminha de Hyerin. Aviso desde já que o final é feliz e não, ninguém morre. hahahaha

Estou tendo problemas com html - ainda? de novo? - mas eu vou vencer. Obrigada a todas as correntes de oração e apoio de vocês. n Tive muitas ideias e muitos projetos aqui pro running, agora só falta tempo e coragem pra colocar todos em prática! Ah, e obrigada pelas 30 curtidas na página, seus lindos! Sério mesmo, fizeram o coração dessa pobre alma feliz. 

Por hoje, é só isso! 

10 reflexões que toda ficwriter e suas leitoras deveriam fazer.

Yay! Já é quarta-feira (ou madrugada dela) e eu estou aqui com postagem nova para vocês! Queria comunicar que ainda estou lutando (e perdendo) com o html, arrumei uma solução para ir levando até quando der, um tanto complicada, mas ainda uma solução. Não vou explicar pra vocês do que se trata porque é realmente díficil, porém apenas declaro que, apesar dos meios mais trabalhosos, EU VENCI, HTML! Muahahahaha.... ok, não.
Enfim, a postagem de hoje, como eu já havia falado, é sobre algo que foi um dos responsáveis pela minha paixão por escrever: o mundo das fanfictions. (Aquela definição básica para quem ainda não conhece. ). Organizei dez coisinhas que ao longo do tempo, passaram a me incomodar com o excesso ou a falta delas em algumas fictions. Sejam gentis comigo e não me matem pela sinceridade que foi usada em algumas questões. 
Anyway, confiram agora as dez reflexões que toda ficwriter e suas leitoras deveriam fazer.

1 – Não fique só no romance.

A vida não é um mar de rosas, até porque esse tipo de flor não dá em água salgada. Por mais maravilhoso e suspirante que seja, não deixe que o romance tome conta da sua vida. Permita-se ler e escrever outros tipos, perceba o quão gratificante é se arriscar em outro gênero mesmo que não seja muito certeiro de início. É certo que nós  lemos na espera de que aquilo nos preencha de alguma forma, mas não dê a entender que o faz apenas para suprir suas próprias carências.

2 – Sexo não deixa a história melhor.
O mundo da fanfic chegou numa fase em que sua estória só é lida caso contenha cenas de sexo. Cada vez mais as livres são consideradas fluffys ou sem conteúdo. E o que seria, de fato, esse conteúdo? Não importa o quão boa a ideia inicial da fic seja, se sexo explícito não estiver presente significa que ela não é boa? É claro que existem as restritas com ótimo plot¹ e o sexo não sendo a principal base. Mas, muitas das que eu já li – inclusive, famosas dentre as páginas no facebook – não acrescentam em nada a não ser em algum tipo de posição. Sinceramente, por mais grotesco que possa parecer, a fanfiction chegou ao que se chama de literatura erótica e rapidamente se tornou em uma escrita pornográfica.

3 – Aposte na fantasia.
Parece que depois que crescem, as pessoas são obrigadas a mudarem seus gêneros preferidos. Meninas, principalmente. Nós não podemos mais gostar de histórias tachadas infantis, porque agora somos “mulheres” e precisamos ler aquilo que mulheres leem. Pfff, pura idiotice. Já fui extremamente zoada por ter Desventuras Em Série como meu favorito. Mas... o que há de tão errado em gostar de mistérios, cisões, três órfãos desventurados e um vilão pérfido? Eu te digo: nada. Como fã que sou, diria que a saga merecia uma atenção muito maior do que lhe foi dada. Enfim, a fantasia está cada vez mais escasso no universo das fanfictions. Por mais fãs de irreal como Harry Potter e Percy Jackson que sejam as autoras, não há um público interessado em plots como esse. E assim, os sites de fics ficam cada vez mais abarrotados de... romance.

4 – Esqueça a vida rockstar.
Falando sério.... já deu. Tudo bem que cantores/bandas e atores como personagens estão tendo cada vez mais destaque, porém coloca-los famosos em todas as histórias cansa, né? Acredito que se possa usar apenas a imagem do preferido em questão, não necessariamente sendo quem ele realmente é na sociedade. Mesmo que seja feito de fã para fã e por mais talentoso naquilo que faz o seu ídolo seja, uma variada não mata ninguém. Não há problema nenhum em Skandar Keynes ser um cortador de grama.

5 – P.O.V masculino não significa P.O.V dos palavrões.
“Caralho! Que porra você fez nessa merda, seu filho da puta?”  Pra quê, né? Palavrões são usados por todos os tipos de pessoas, não só pelos garotos ou jovens. Seu pai vive soltando uns e até seu professor de física já usou o mais comum deles em alguma questão mal interpretada.  Se quiser um texto mais atual, informal e ainda mais próximo da realidade, alguns soltos vez ou outra não faz mal algum, mas o uso repetitivo não vai tornar seu personagem mais másculo. Creio que todas nós desejamos que pelo menos uma de nossas estórias se torne um livro, e eu nunca compraria livro algum com tantas palavras chulas dessa maneira.

6 – Muita enrolação = ZzZZzZz
Não que eu tenha nada contra textos longos (só uma leve preguiça para escrever), porém uma estória com trinta e cinco capítulos e oitenta e cinco por cento serem só brigas e discussões, gritaria, e o casal (porque né, romance domina) ficando junto nos últimos segundos da prorrogação do jogo decisivo da libertadores... não dá, né? Eu sei que uma adrenalina é bom de vez em quando, mas tentem não exagerar nessa enrolação. Particularmente gosto sim de uma estória com aquelas briguinhas bem bobas, mas sem exageros. Não vamos colocar o casal discutindo porque ela quer sair de rosa e ele quer usar uma camisa azul e fazer eles terminarem por isso.

7 – P.O.V do cansaço.
Olha, ponto de vista pra mim é um grande problema. Não vejo muita necessidade para mudança de narrador, ainda mais com tanta frequência. Eu sei que é complicado, já que o narrador personagem é o melhor em expressar sentimentos e tudo mais. Entretanto, creio que seja melhor optar pelo narrador-observador ou até mesmo o onisciente, que permite ir mais afundo nos pensamentos do personagem, como a narração em primeira pessoa. Porque sinceramente, eu me sinto cansada com tantas trocas de pontos de vista, muitas das vezes até me perco. Cheguei a ler uma que aconteceram oito trocas de narrador em um único capítulo! É aquela coisa: Você quer usar determinada coisa, usa, mas não abusa.

8 – Drama não é só Romeu e Julieta.
Uma mãe que perdeu um filho, uma criança que não encontra a roupa da boneca, um cara que tá sem emprego ... tudo é drama, gente. Eu ‘tô cansada de ir procurar estórias nesse gênero e só encontrar gente em depressão porque a garota morreu, marido alcoolizado porque foi chifrado. A gente se livra de Manoel Carlos mas Manoel Carlos não sai da gente, porque olha. Particularmente acho que não há problema nenhum em dramas de verdade. Na real, sempre quis escrever sobre pessoas sobrevivendo a segunda guerra ou coisas do gênero. Mas, não dá dinheiro escrever esse gênero. O mercado hoje só aceita romance, só aceita se você fizer um casal fodástico e matar um deles no final da fiction.

9 – Cuidado com as gafes.
O erro mais épico que eu já vi em toda minha curta vida de 18 anos foi o seguinte: A estória se passava na época da renascença e a personagem principal tinha um computador. Desculpem-me a palavra, mas caralho! Pelo amor de Deus, vamos usar uma ferramenta muito digna e importante chamada: google. É muito bom quando se tem ideias e exclusivas para plot, mas é melhor ainda dar uma pesquisada, ir atrás da galera que entende pra não passar por uma vergonha dessa ou coisa parecida. Eu lembro que quando escrevi O carinha do call center há séculos e séculos atrás na minha época de noob², eu contei com a ajuda de Priscila que até então era só minha beta-revisadora. Ela já tinha trabalhado como atendente de telemarketing e me deu uns toques para a fiction ficar decente e sem buraco. Então gente, pesquisar nunca é demais. Procurar gente da área, experiente e tudo mais para sua estória ficar ainda mais original.

10 – Comentário que seja comentário.
Esse é um especial para as leitoras e acho que todas já estão cansadas de ouvir isso, mas falaremos novamente. Engraçado que na hora de cobrar capítulo, surgem leitoras de todas as partes desse mundo. A gente tenta, passa por cima das obrigações, revisa a tempo, manda a fic no último minuto pra atualização e no final: recebemos quatro ou cinco comentários. E desses, alguns são simples “Que legal, agora continua *-*”. Ou então, como na minha época de novata no lollipopfics que já cheguei no meio de uma confusão, comentários maldosos apenas com “que lixo”. Poxa, gente. Se gostou, comenta aquilo que gostou com detalhes, dando ênfase nas partes importantes para que a autora se sinta feliz e faça de novo das próximas vezes. Se não gostou separa as coisas que você julgou desnecessárias e manda de modo educado para que a autora analise se sua sugestão é boa e tome mais cuidado da próxima vez. Dá trabalho? Dá, lógico que dá. Mas pensem no trabalho que nós também tivemos em organizar tudo a tempo para fazer vocês leitoras felizes. É de extrema importância que tenha esse feedaback, e mais pra frente será um felicidade dupla: Da autora por ter crescido em sua escrita, e sua por ter acompanhado e ajudado nesse crescimento. 

¹: Ideia geral da estória, o assunto que a fiction aborda de modo mais generalizado.
²: Calouro, desinformado. Ainda começando em determinada área; Gíria usada em jogos online.

E aí, o que acharam? Concordam? Discordam? Caixinha de comentários tá logo ali te esperando!

Novo layout, sofrimentos com HTML e page no facebook.

Bom dia! Sim, bom dia porque faz só alguns minutos que eu acordei. Estou aqui depois de séculos com a velha promessa de postar com mais frequência, mas não se preocupem dessa vez é sério (Não que as outras não tenham sido, mas...). Na última sexta-feira (23/08) em uma palestra, levei um tapa na cara ao ouvir que você só será levado a sério quando você mesmo se levar a sério. Então, se queremos reconhecimento, preciso fazer com que seja reconhecido! O running vai ser atualizado duas vezes por semana choquem! Sendo uma no domingo, e a outra na quarta-feira. Claro, se surgirem novas ideias fora dos dias em questão, postarei do mesmo jeito. E pra isso, precisamos dar uma mudada, não é mesmo? O que acharam do layout novo que não é tão novo assim? Eu usei esse theme há muitos e muitos anos (2009) atrás e quando coloquei de novo me veio uma nostalgia tão grande que vocês nem fazem ideia. E, apesar de toda a fobia com backgrounds amadeirados, eu realmente fiquei apaixonada quando vi esse modelo!  
Mas olha, devo dizer que essa vida já foi mais fácil! Tudo bem que o horário escolhido para a mudança de layout não foi lá muito bom (uma hora da manhã!), mas não precisava apanhar tanto do html, dona Thiarlley. Sofri, pelejei, padeci, corri atrás de duas amiguinhas para me dar uma ajuda, fui no google, lutei, apanhei mais ainda e no final das contas: perdi de 57x3 do html do blog, pois é. A função de compartilhamento simplesmente sumiu do fim das postagens e eu só não chorei de raiva porque eu sou superior a qualquer coisinha de computador. (Olha, ser mesmo eu não sou, mas precisava achar que era pra não xingar o mundo todo) Enfim... eu ainda não desisti porque, como eu já disse, não é nenhum programa idiota que vai me vencer e hoje ainda vou vestir minha armadura e ir pra batalha. Só não garanto ganhar, mas tentarei do mesmo jeito.
 Pois bem, a page no facebook. Resolvi de última hora porque dois amigos meus que começaram agora já criaram uma página direitinho, bem organizada e com direito a várias curtidas no primeiro dia. Se eu fiquei no recalque? Claro. O running existe desde 2009 e eu nunca trabalhei uma ~divulgação~ de maneira correta. Então, pois bem! Fiquem a vontade pra curtir a linda page do querido running! Tudo que for postado aqui será postado lá também, no intuito de informá-los com mais rapidez sobre o conteúdo! Eu espero de verdade que dessa vez dê certo! Aliás, qualquer dúvida/sugestão/crítica/comentário ou qualquer outra coisa, fiquem a vontade para mandar inbox na página, ou uma mention no twitter, até ask no tumblr se quiserem, hahaha! Só clicar logo aqui nos widgtes e fiquem a vontade!

E apesar do clima não estar muito frio, o dia hoje vai ser resumido em muito café e muito mais Duda Rangel.  Super recomendo - e olha que só li os cinco primeiros capítulos -  não só pra quem quer seguir a carreira de jornalismo, mas também pra quem tiver curiosidade de se aprofundar no meio da notícia e da redação de uma maneira divertida. E, é claro, os leigos super deveriam ler para entenderem que nós não vamos ocupar o lugar de Willian Bonner e ser famosos assim que sairmos da faculdade. 

No mais, é só isso por hoje! Tem postagem nova a caminho falando um pouco sobre fanfictions e sua evolução. Quarta-feira estará quentinha aqui pra vocês.
kiss kiss and love. ~ ♥ 

#Cartas ― para Annelise Walker;


21 de Janeiro de 2027.
Ballyclare, Irlanda do Norte, Reino Unido.

Oi, Annelise.
Olha, é meio complicado escrever uma carta para si mesma. Principalmente quando já se sabe que a “você” que precisa ler tal recado não terá mais essa chance. Mas eu vim te dizer para parar de se importar com o que as pessoas dizem, por mais clichê que possa parecer. Você sabe que independente do que elas achem ou não, nada irá mudar o que você é. Vim te avisar que por mais que você tente agradar todos ao seu redor, nunca será o suficiente. Não deixe suas aulas de balé só porque sua avó disse que isso não é coisa que lhe dê dinheiro, muito menos cancele seu sonho só porque seu pai disse que rodopiar para um lado e para o outro não é uma arte. Peço que não curse Direito só porque sempre fora o sonho de sua mãe se tornar uma grande advogada! Era o sonho dela, não o seu. Muito menos passe a andar com roupas justas e curtas para conseguir a atenção de pessoas que não a merecem. Não namore o Joseph. Faça as pazes com Valentina. Compre o livro de Alice no país das maravilhas ao invés de gastar seu dinheiro com aquele sapato de salto que nos final das contas será o primeiro motivo da humilhação que você sofrerá. Não rasgue seu macaco de pelúcia e guarde aquela carta que Alan te deu. Não tome aquela primeira dose que Maya lhe ofereceu, e principalmente, não caia na conversa de John Cosmopolitan.

Sei que foram coisas demais, entretanto, estou zelando pelo teu bem. Ser advogada e bem sucedida, é completamente entediante. O namoro com Joseph resultará em uma traição e uma humilhação em meio a todos que você se importa. Você sentirá falta de Valentina e não conseguirá ir ao seu enterro por remorso. Os saltos que você comprou ao invés do livro, quebraram no meio do baile e te fizeram cair, somando mais uma humilhação. Não rasgue o Pierre, por mais irritada que esteja. Descontar sua raiva nele só fará com que sinta remorso depois, e com certeza, você sentirá. A carta que Alan lhe deu provavelmente ficará na sua memória, mas você sofrerá por não tê-la fisicamente. A primeira dose oferecida por Maya resultará em um vício precoce, que lhe colocará em uma clínica de reabilitação em pouco menos de um ano. E por último, mas não menos importante: John Cosmopolitan te deixará na falência, completamente sem nada, a não ser a roupa que usa e aquilo que guardara no escritório. Por isso, Annelise, peço-lhe que tome todas as precauções que fiz nesta carta, a fim de que o seu futuro não seja aquilo que você tanto temeu. Talvez você ainda não saiba o quão doloroso é passar por uma escola de balé e ver o quão promissor seria se tivesse continuado com o que tanto sonhou.
Bem, acho que não tenho mais nada a declarar. Em um último pedido, peço que diga a sua mãe o quanto você a ama, porque provavelmente, depois de algumas discussões com o seu pai, você não seja permitida no velório dela e provavelmente assistirá o seu sepultamento alguns metros de distância. Não deixe que sua vida se torne algo tão miserável. Espero poder te encontrar algum tempo depois e espero também que tenha atendido ao menos um dos meus pedidos. Tenho plena certeza que sua vida mudará se ao menos um desses for acatado.

Com um amor que perdi ao longo do tempo,

Você mesma alguns anos depois. 

Adolf Hitler: Uma inteligência demoníaca

Todo estudante que se preze, seja ele amante da história ou não, conhece nem que seja o mínimo sobre a vida e obra do ditador. Austro-húngaro, mudou-se para Viena no intuito de tornar-se um pintor respeitado, o que foi totalmente vetado por não conseguir ingressar na Academia de Belas-Artes. Mudou-se então para Munique, Alemanha, fugindo do alistamento obrigatório em seu país. Contraditoriamente, com o início da 1ª Guerra Mundial, alistou-se no exército alemão como voluntário. Ferido em combate, recebeu então a condecoração da Cruz de Ferro.
         Com o fim da Guerra, recebeu a missão de investigar o Partido dos Trabalhadores Alemães, fundado por Anton Drexler. Saiu do exército e filiou-se ao Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães e é apelidado de “nazi”. Com o fracasso de um golpe de Estado, Hitler e os outros líderes acabaram presos, e lá escreveu Mein Kampf, autobiografia e programa ideológico que impulsionou sua meteórica carreira política. Dez anos depois, assume o poder como chanceler da Alemanha, fazendo inúmeras obras públicas, recuperando a economia, e até considerado o “Homem do Ano” de 1938, pela revista norte-americana, Time.
         Um exército resumido para 100 mil homens, a devolução de todas as terras conquistadas da Polônia e França, a proibição para rearmar-se e o pagamento de todo o prejuízo causado pela Guerra aos países vitoriosos: Era a situação em que a Alemanha se encontrava no ano de 1918, com o fim da Primeira Guerra Mundial. Junto do Império Austro-Húngaro, foram denominados como causadores do conflito, e obrigados a assinar o Tratado de Versalhes, o qual lhes privavam de todas as possíveis formas de iniciar uma nova batalha e, é claro, beneficiava Reino Unido, França e Rússia com o ocorrido.
         São apenas vinte e um anos de período entre Guerras. Hitler assume o poder do país em 1933, e seis anos depois invade a Polônia provocando assim o início de um segundo conflito global. Adolf consegue, em menos de uma década, reestruturar toda uma Alemanha acabada e afundada pós Primeira Guerra. O soldado ferido em combate sai do anonimato e assumi o poder, conquistando um povo ainda ferido e humilhado pelas nações vencedoras. Desrespeitou as leis propostas no Tratado de Versalhes, voltando a se rearmar e reconquistando territórios antes perdidos com a assinatura do contrato.  
Hitler, sem dúvida, foi um dos melhores e dos piores chefes de Estado que o mundo já viu. Recriou a escravidão em pleno século XX, com 20% da mão de obra alemã provindo de trabalho forçado. Reestruturou e alienou um povo. Indignado pela primeira derrota, culpa os não-arianos por sujar seu país. Judeus, poloneses, comunistas, ciganos, homossexuais, testemunhas de jeová e opositores pagaram pela ruína que a Alemanha viveu pós Primeira Guerra. Saiu de amado a odiado em seis anos de Guerra fracassada. Desviou preciosos recursos para uma extravagante operação industrial com o objetivo de eliminar pessoas de forma rápida e eficiente. Hitler foi inédito e falho em seu ódio. Não soube recuar quando era preciso. A guerra tornou-se defensiva e completamente despreparada. E enfim, em 1945 as tropas Soviéticas avançam no território alemão, até que chegassem a mais uma derrota.
Muitas pessoas o criticam, crucificam e martirizam pelos seus atos. Mas o que muitos não fazem, é admitir o quão inteligente, esperto e sagaz ele era. Tudo que ele queria, ele conseguia. Da forma mais desumana em maldosa possível, mas conseguia. Manteve seus ideais até a sua morte, por mais humilhante e fracassados tenham sido ao fim de 1945. Mas fora toda a crueldade que exalava de seus poros, Hitler foi um bom governante, do jeito dele, mas foi. Por mais irônica e louca que tenha sido a última frase.
Hitler não apenas ajudou a criar o horror que foram a Segunda Guerra Mundial e o Holocausto, nos quais dezenas de milhões morreram. Ele alterou a paisagem global para sempre.”

Jon Lee Anderson, jornalista e autor norte-americano.

Fontes: Biografia de Adolf Hitler, disponível em: http://pensador.uol.com.br/autor/adolf_hitler/biografia/
Aventuras na História: 10 pessoas que mudaram o mundo e o que seria da humanidade sem elas; Edição 121,pág. 39. agosto 2013;  Editora Abril.

I will always be here, for you.

 E mesmo em meio a tantas pessoas, ela se sentia sozinha. Pesadas lágrimas teimavam de cair de seus olhos e ela se sentia completamente inútil por chorar em um lugar tão cheio como um ônibus, porém, dava graças a Deus por a luz estar apagada e ninguém notar que um coração machucado estava ali. Não entendia porque chorava daquela forma, afinal, deveria estar acostumada. Pessoas vêm e vão com uma grande facilidade na sua vida, principalmente vão com uma grande facilidade. Então, era de se esperar que mais uma se cansasse de si, não é? Mas por que doía tanto? Era considerada fria por alguns – poucos – amigos e naquele momento adoraria ser a rainha do gelo e ligar o dane-se para qualquer um. Mas não, ela tinha que ser tão sentimental quanto sua mãe e ligar até para um ‘bom dia’ dito com arrogância. E então, pela segunda vez naquele mês, ela estava ali: Derramando suas tão importantes lágrimas por pessoas que ela – achava – que se importavam com ela. Não era a toa que achava ser a pessoa mais solitária do mundo. Nunca conseguia durar uma amizade e magoava os fortes candidatos a seus amigos. Suspirou e encarou a janela. Observou todas as casas e carros que sumiam facilmente do seu campo de visão e imaginou se o mesmo não acontecia na sua vida. Riu da ironia que pensara e então fechou os olhos com força. Mais lágrimas caíram dali e uma prece saiu de seus lábios, mesmo que inaudível. Pediu a Deus que lhe mostrasse alguém que se importasse com ela, pediu aos céus que lhe mostrasse alguém que se importasse consigo a ponto de juntar os pedaços de seu coração, já que tinha certeza de que não conseguiria sozinha. As mãos foram guiadas aos olhos na tentativa inútil de limpá-los, e então, finalizou sua prece. Abriu os olhos para que assim pudesse pegar o celular e seus fones, colocando uma música lenta para acalmar seus ânimos (ou a falta deles). Aconchegou-se confortavelmente naquela poltrona e então voltou a fechar os olhos. Viajava na melodia e na letra daquela canção, tentando esquecer tudo que lhe atormentava. Foi então que seu celular vibrou, indicando que um whatsapp havia chegado. Desbloqueou a tela confusa, já que não estava esperando por mensagens naquele momento, sorrindo largo ao ler o conteúdo da mensagem.
"Boa noite minha dongsaeng¹ favorita! ♥ Só enchendo pra falar que eu te amo. "
Como sua amiga sabia que precisava ouvir isso justamente naquele momento? Ela não fazia a menor ideia. As lágrimas voltaram a cair de seus olhos e desejava o abraço da mais velha mais do que tudo nesse mundo. Era uma pena que esta morasse tão distante de si. Pensava em quão irônica podia ser a vida, já que, quase todos a sua volta tendiam a magoá-la e os que mais lhe faziam bem eram separados por inúmeros km de distância. Mas, naquele momento ela podia sorrir. Naquele momento, nada poderia lhe fazer tão bem quanto aquela mensagem.

E sua prece fora ouvida, afinal.

¹: Forma de tratamento coreana de pessoas mais velhas para pessoas mais novas as quais possuem afinidade. 

Acho que o texto  fala por si só.