Adolf Hitler: Uma inteligência demoníaca

22:36

Todo estudante que se preze, seja ele amante da história ou não, conhece nem que seja o mínimo sobre a vida e obra do ditador. Austro-húngaro, mudou-se para Viena no intuito de tornar-se um pintor respeitado, o que foi totalmente vetado por não conseguir ingressar na Academia de Belas-Artes. Mudou-se então para Munique, Alemanha, fugindo do alistamento obrigatório em seu país. Contraditoriamente, com o início da 1ª Guerra Mundial, alistou-se no exército alemão como voluntário. Ferido em combate, recebeu então a condecoração da Cruz de Ferro.
         Com o fim da Guerra, recebeu a missão de investigar o Partido dos Trabalhadores Alemães, fundado por Anton Drexler. Saiu do exército e filiou-se ao Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães e é apelidado de “nazi”. Com o fracasso de um golpe de Estado, Hitler e os outros líderes acabaram presos, e lá escreveu Mein Kampf, autobiografia e programa ideológico que impulsionou sua meteórica carreira política. Dez anos depois, assume o poder como chanceler da Alemanha, fazendo inúmeras obras públicas, recuperando a economia, e até considerado o “Homem do Ano” de 1938, pela revista norte-americana, Time.
         Um exército resumido para 100 mil homens, a devolução de todas as terras conquistadas da Polônia e França, a proibição para rearmar-se e o pagamento de todo o prejuízo causado pela Guerra aos países vitoriosos: Era a situação em que a Alemanha se encontrava no ano de 1918, com o fim da Primeira Guerra Mundial. Junto do Império Austro-Húngaro, foram denominados como causadores do conflito, e obrigados a assinar o Tratado de Versalhes, o qual lhes privavam de todas as possíveis formas de iniciar uma nova batalha e, é claro, beneficiava Reino Unido, França e Rússia com o ocorrido.
         São apenas vinte e um anos de período entre Guerras. Hitler assume o poder do país em 1933, e seis anos depois invade a Polônia provocando assim o início de um segundo conflito global. Adolf consegue, em menos de uma década, reestruturar toda uma Alemanha acabada e afundada pós Primeira Guerra. O soldado ferido em combate sai do anonimato e assumi o poder, conquistando um povo ainda ferido e humilhado pelas nações vencedoras. Desrespeitou as leis propostas no Tratado de Versalhes, voltando a se rearmar e reconquistando territórios antes perdidos com a assinatura do contrato.  
Hitler, sem dúvida, foi um dos melhores e dos piores chefes de Estado que o mundo já viu. Recriou a escravidão em pleno século XX, com 20% da mão de obra alemã provindo de trabalho forçado. Reestruturou e alienou um povo. Indignado pela primeira derrota, culpa os não-arianos por sujar seu país. Judeus, poloneses, comunistas, ciganos, homossexuais, testemunhas de jeová e opositores pagaram pela ruína que a Alemanha viveu pós Primeira Guerra. Saiu de amado a odiado em seis anos de Guerra fracassada. Desviou preciosos recursos para uma extravagante operação industrial com o objetivo de eliminar pessoas de forma rápida e eficiente. Hitler foi inédito e falho em seu ódio. Não soube recuar quando era preciso. A guerra tornou-se defensiva e completamente despreparada. E enfim, em 1945 as tropas Soviéticas avançam no território alemão, até que chegassem a mais uma derrota.
Muitas pessoas o criticam, crucificam e martirizam pelos seus atos. Mas o que muitos não fazem, é admitir o quão inteligente, esperto e sagaz ele era. Tudo que ele queria, ele conseguia. Da forma mais desumana em maldosa possível, mas conseguia. Manteve seus ideais até a sua morte, por mais humilhante e fracassados tenham sido ao fim de 1945. Mas fora toda a crueldade que exalava de seus poros, Hitler foi um bom governante, do jeito dele, mas foi. Por mais irônica e louca que tenha sido a última frase.
Hitler não apenas ajudou a criar o horror que foram a Segunda Guerra Mundial e o Holocausto, nos quais dezenas de milhões morreram. Ele alterou a paisagem global para sempre.”

Jon Lee Anderson, jornalista e autor norte-americano.

Fontes: Biografia de Adolf Hitler, disponível em: http://pensador.uol.com.br/autor/adolf_hitler/biografia/
Aventuras na História: 10 pessoas que mudaram o mundo e o que seria da humanidade sem elas; Edição 121,pág. 39. agosto 2013;  Editora Abril.

Leia Também:

1 comentários

  1. History♥
    okay parei de surto, e tive uma retrospectiva mental da ultima aulda do Fábio.
    E no final apenas tenho a concordar por mais maldoso que o cara tenha sido "Adolfinho" foi foda. Mas um fato, ainda acho injusto o tratado de Versalhes que fazia a Alemanha pagar indenização aos outros países. Tipo cara qual a lógica, o pais ta destruído e ainda tem que pagar pros outros... e quanto isso EUA se aproveitando da guerra e se erguendo a grande potência da época. Injusto ao máximo.

    Beijos~~ Pryh
    Líros Ao Mar

    ResponderExcluir

ATENÇÃO:

O conteúdo aqui postado é de responsabilidade de seus respectivos autores e fica proibida a reprodução de qualquer publicação sem o consentimento dos mesmos e/ou sem os devidos créditos, sendo considerado PLÁGIO.

ARQUIVO DO BLOG