— Especial Dia das Crianças;


Sim, eu sei que faz uma semana desde o dia das crianças, não precisam esfregar isso na minha cara. Mas eu tive contratempos, as usual. Enfim, aproveitando o dia de folga antes de começar a estudar para a última prova da unidade malditas sejam as provas distantes umas das outras e me veio a ideia de escrever algo para esse dia o qual tão foi lembrado pela galera do facebook. Aliás, gente como vocês eram fofinhos quando criança, viu? Meu Deus do céu, quero apertar todos vocês. Até eu era uma fofura quando criança, apesar de sofrer extremo bullying da minha irmã mais velha a qual me chamava carinhosamente de 'cabelinho de fogo' por ter os cachos mais claros nas pontas como tá aí na foto. Sofrida essa vida, viu. Falando em foto, uma pequena demonstração de como eu era uma coisa apertável e que sempre tive cara de sapeca (no bom sentido, pfvr). Daora que uma amiga (Salve Eloane) minha viu essa foto e disse "Olha, você sendo você com quatro anos" não entendi muito bem o que ela quis dizer, mas eu levei como elogio.

Enfim, a fanfic nova, sendo esta bem fluffy, trata de um pequenino garoto de seis anos contando a sua mãe sobre seu primeiro amor. E confesso que enquanto escrevia tive vontade de ter filhos pela primeira vez na vida. Não sei se foi a fofura dele ou o simples fato de ser o Henry quando criança, só sei que fiquei muito "ai meus feelings" com essa fanfic. E, por mais que a maioria fique "Ah, colocou romance numa criança de seis anos, que coisa chata" todo mundo sabe o quão fofo e inocente é o amor de uma criança e por isso foi o tema que eu escolhi. Julguem o quanto quiserem. 

No mais, fiquem com o primeiro amor de Henry Lau. ♥♥

— Just the rain


Chuva é uma coisa até engraçada. Quando chove, é como se todos os sentimentos que você insiste em guardar no baú mais profundo e dentro de si, simplesmente viessem à tona, todos de vez. Bate aquela nostalgia inexplicável, uma sensação gostosa. O cheiro de terra molhada tão cantado por Sandy e Júnior remete a infância, correr em meio à chuva de verão, com os pés descalços e sorrisos adornados nos lábios e as mães gritando as inúmeras consequências que aquela simples diversão causará. Chuva pode lembrar momentos de angústia, tristeza. Sentimento de perda, abandono, solidão. Chuva acompanhada daquele friozinho e uma boa xícara de café dá uma sensação tão boa, de aconchego. Depois de uma tarde de calor dá sensação de alívio. Com trovões e relâmpagos, causa medo. Na seca, renova as esperanças de um povo que tanto esperou. Chuva, ah chuva... Mal sabes o valor que tens. Mal sabes a culpa que carregas por tanto que fez, faz e há de fazer. 
 Chuva, ah doce chuva.

— Happy 2 years, sweet;

Cara, acredita que eu esqueci? Sem brincadeira. Semana passada eu até lembrei e pensei “Aproveitar e fazer algo decente/bonito e com tempo dessa vez” pffff esqueci de novo, vê se pode. Mas enfim né, são DOIS ANOS já! Por mais que algumas vezes eu tenha a impressão que são cinco ou mais, sério. A gente se conhece tão bem, né? O suficiente pra saber consolar quando nem se sabe a razão do problema, o suficiente pra saber o motivo de uma felicidade sem que a outra conte o que  aconteceu. E não, não estou falando de como somos stalkers, porque isso ninguém supera. Hahaha É engraçado porque nós sempre inventamos coisas sem medo do flop, e quase sempre, ou sempre, flopamos. Mas não é como se fizesse muita diferença. A graça não é brilhar ou flopar e sim o fato de que fizemos juntas.  Obrigada, Helena. Você realmente não faz ideia de como me faz bem, mesmo nas pequenas coisas. Você não faz ideia do quanto é importante pra mim, principalmente pelo seu apoio em todos os momentos que eu precisei e preciso. Obrigada por cumprir o significado de uma amiga, quando a maioria nem mesmo sabe o que essa palavra deveria significar. Obrigada por não me deixar cair, obrigada por ser quem você é. A garota dos parênteses cheios de veneno. A menina cheia de ideias para fanfics, mas com preguiça demais para escrevê-las. A melhor dançarina que eu conheço (logo depois de mim, é claro. n). A garota dos inúmeros cursos extra curriculares que dorme no ônibus entre uma aula e outra. A pessoa que “se recusa” a determinadas coisas que vê por aí. A minha irmã mais nova a distância. Feliz dois anos de amizade, Omma! Tenha plena certeza de que cheeks ama você.
I think I know the pain you felt
Finally, finally
I can feel everything you felt
Now, I can feel y o u r heart
Timeless – JungAh and Raina;

Aniversariantes da semana!

Belo início de tarde pra quem tem um lugar fresco pra ficar! Porque caso contrário vai morrer de calor, viu. Aliás, acho que não comuniquei ainda, que cabeça a minha. Estou morando em Aracaju, gente. FINALLY! NO BUS ANYMORE! Mentira, eu pego ônibus sim, mas são só vinte minutinhos, um nada comparando com as duas horas e meia de antes, pois é. O que me dá muito mais tempo pra comer e pra pensar/escrever fanfictions novas. Eu só não digo que é o paraíso porque eu ainda preciso estudar, mas tá.
Enfim, a postagem de hoje, totalmente fora dos dias de atualização vem parabenizar duas pessoinhas lindas (Thainá, não tô falando de você) que fizeram aniversário nos dias quatro e seis de outubro. Eu deveria estar fazendo isso via facebook/twitter/whatsapp/a porra toda, mas resolvi fazer aqui mesmo. (Tudo por propaganda, nem se iludam. zoa )

04.10 - Bianca Araújo
"É o seu aniversário e nós queremos lhes saudar, desejos de rainhas devem se realizar~~" ÓBVIO que eu ia cantar barbie pra você, né. Nada melhor pra representar nossa amizade do que a boneca mais famosa do mundo! Cara, são quase... DEZ ANOS! Dez anos de muita história pra contar, de muito desfile, de muito casamento de barbie e o MaxSteel do seu irmão, muito restaurante e muito, muito riso! Sinceramente, eu tive a melhor infância do mundo, principalmente pelo fato de ter tido você nela. Você sabe, eu já falei isso tudo no instagram e tudo mais, porém eu precisava falar de novo. Parece que o fato de ter saído do ensino médio primeiro nos separou um pouco, né. Depois veio a falta de tempo da faculdade, e agora a mudança. Eu, sinceramente, espero que isso não mude em nada e sei que você também não. É notável quando a gente se encontra que é tudo como nos velhos tempos. Então Bianca, queria que você soubesse que eu amo você. E sei que posso contar com você pra tudo, assim como você sabe que pode contar comigo para o que precisar. Aquele colarzinho lá, eu coloquei que foi em 2007, mas foi mesmo? hahaha eu não lembro, é como se você já tivesse do meu lado desde sempre, lembrar datas fica algo meio complicado, pois é. Mas ó, nada mudou. Eu posso estar morando na China (Sem piadinhas, ok) e você, sei lá, Inglaterra (Mcfly sdds) e nós continuaremos as mesmas melhores amigas de 2004, right? Happy Birthday, bff. ♥



06.10 - Thainá Valadares Andrade
E aí, você não sabe a informação inútil que eu lembrei agora! Você tá fazendo 25 anos, que foi justamente a data que você casou, olha só! Ok, mas idiotices a parte, engraçado que a distância nos fez mais próximas, olha a ironia? E confesso que diante de toda a bagunça que estão as coisas, eu não esperava o apoio que você está me dando. Sei lá, não só pelo fato da distância em si, mas por todas as circunstâncias e tal, mas enfim. Me surpreendi muito e agradeço mais ainda por estar do meu lado. Obrigada por ser a irmã mais velha que quase ninguém pediu a Deus. Sério, essa coisa de ser certinha as vezes cansa. As vezes não, sempre. E eu lembro que quando te falei sobre seguir seu exemplo, você disse que eu tinha escolhido a pessoa errada. Hm, eu acho que não, hein. Tenho plena certeza que escolhi certo sim.  E, mesmo com todas as desavenças, sendo elas as comuns ou não, você sabe que eu te amo e eu sei que você me ama também. Tenho até provas disso, há. Te desejo o melhor aniversário do mundo, sei que você está tendo o que sempre quis nesse seu primeiro aninho de casa, já está treinando a maternidade para ter filhos! Julião Petruquio que o diga, não é? Espero de todo meu coração que tudo na sua vida seja da forma que você deseja, que todos os seus sonhos se realizem, inclusive aquele de cantar ao lado de Joelma e Calypso. (Precisei, dsclp. Ninguém mandou morar no Pará xD) Eu já disse, mas digo de novo: Eu te amo, mais do que você imagina. Feliz aniversário, maninha. ♥ Viu a ênfase no seu novo sobrenome lá em cima? É porque eu sou idiota mesmo, e esse ~Andrade~ depois do nosso sobrenome dá uma moral da porra, hein. 

Revirando o baú eletrônico!

Engraçado que quando não se tem nada pra postar, a gente sempre recorre a textos antigos e sempre acha algo muito bom e que ninguém ficou sabendo. E então, enquanto procurava alguma coisa pra reler quando pá! encontrei uma fanfic escrita a mais de um mês atrás! Na verdade, escrevê-la foi algo engraçado. Cheguei no facebook e simplesmente chamei minha querida companheira de fé Priscila () para escrever uma história em pouco mais de uma hora! E o mais irônico é que no meu caso, as histórias pensadas sobre pressão e/ou escritas em um único take são melhores do que as pensadas com antecedência e escritas com calma. Qual o problema comigo? Deve ser por isso que eu não me dou bem com longfics, tudo faz sentido agora. 
Anyway, explicando a fanfic... Juro que era pra ser algo feliz, gente. Sério mesmo. Na verdade, era pra ser um draminha besta aqui, outro ali e todos alegres em um cadillac sem rumo para um final feliz. Bom, o final foi feliz, tá. Não matei ninguém ou coloquei e doença terminal. Mas, segundo da ganhadora da fiction, ela chorou. Se bem que Priscila não é lá muita referência porque ela chora até com comercial de margarina, então ignorem o aviso. I can't be happy alone é o clichê sobre viagens que deveriam separar um casal. Sobre o que os outros pensam e seus julgamentos desnecessários sobre algo que não é da conta deles. E, por mais estranho que seja aos olhos da maioria, eu gostei dela. Eu sei, estou gostando das minhas fanfics novas, claps. E por último, mas não o menos importante: Há uma segunda fanfic, no ponto de vista de Bessie, personagem secundária. Porém não faz lá muita diferença, então era continua guardada no baú eletrônico da vida. So, this is it? Yep, just it. 

Sonhei com umas coisas legais ontem, mas foi tão romance que me recuso a escrever. Saudades sonhos psicodélicos, sério. Aliás, ideias loucas são muito bem vindas. E com ideias loucas I mean loucas MESMO. Tô numa vibe de escrever fantasia, então me ajudem.