Cultura: por que resgatá-la?



 A cultura de um lugar, por mais rica que seja, se não for bem trabalhada, é esquecida com o passar dos anos. Os moradores mudam, os pequenos crescem e se aquilo que aprenderam não for passado para os novos pequenos, passa a ser deixado de lado e com o tempo, torna-se totalmente inexiste.
         Por muitos anos, a cidade de Tobias Barreto se viu assim. Chegou o tempo em que só se sabia por conta de uma música cantada na escola na semana do aniversário do poeta. Quem quisesse conhecer mais sobre o “jornalista, deputado e doutor” e seu trabalho, que se virasse pra procurar e que tivesse a sorte em acha-lo. Sou da geração que só o conhecia pela estatueta da praça e seus bigodes. Que sabia da sua casa na Avenida Principal, mas nunca se eu ao trabalho de entrar. A geração que por mais literária que seja, prefere grandes nomes internacionais como C. S. Lewis e J.K Rowling, mesmo tendo um dos melhores escritores brasileiros como nome da cidade onde vive. Tobias Barreto de Menezes e toda sua magnifica história, foram por muito tempo trocados por terras encantadas e romances estrangeiros.
         Hoje não mais.
         De início não foi nada fácil, não existia projeto e nem maturidade para isso. “Falei ao prefeito Dilson que queria ajudar e ele me perguntou como, eu disse ‘não sei’” diz o secretário de Cultura Josenilson Bispo aos risos, relatando a dificuldade que foi resgatar a fascinante história da cidade e de quem ganhou o nome. Tudo foi começado do zero e há seis anos que a secretaria tem como desafio principal relacionar a população com a cultura local. Desde 2008 que o dia sete de Junho não é só o feriado de aniversário do homem que a cidade recebeu o nome, mas tornou-se o dia, ou melhor, a semana para conhecer mais e mais da vida e obra do autor. Crianças e adolescentes têm acesso as obras e biografia de forma dinâmica e divertida. Surpreso com o desempenho dos alunos, o secretário afirma que o conteúdo da Semana Cultural de 2014 foi complexo, mas que a linguagem formal não os impediu de continuar.

         Projetos como a Semana Cultural, TobiArte, CulturArte e entre outros, têm como objetivo resgatar história, tradição e artistas locais da cidade. Valorizar o que se tem em casa e fazê-los conhecidos aos olhos e ouvidos da população. “Um povo sem cultura e sem educação é um povo sem história e sem memória”, explica o secretário, orgulhoso do projeto que tornou Tobias Barreto referência na Cultura. Quando algo se é resgatado, deve-se cuidar deste para que não fuja novamente. E diante de tudo que já foi relatado, podemos perceber que a Cultura Tobiense está em mãos boas o suficiente para cuidá-la em mantê-la onde deve estar: Lado a lado com os tobienses.