Indicação — vlog Os CaraíBA;



“E aí negada, tudo bem?”
Senta aí que a indicação de hoje é longa, mas muito divertida, recheada com um sotaque marcante e cheio de situações comuns que todo universitário já passou ou ainda irá passar, satirizadas de uma maneira que você nunca imaginou. É isso mesmo, hoje o Just Running Away traz para vocês o vlog “Os CaraíBA”.

(Da esquerda pra direita) Hebert e Helber Durães, Fabrício Barreto e Ícaro Almeida.

JRA choice 2014 — resultados;


Demorou, mas chegou! O resultado do “JRA – choice 2014” está aqui fresquinho e traz surpresas que nem mesmo eu imaginava encontrar na opinião de vocês, queridos leitores que fazem este blog! Fico feliz em anunciar que consegui trazer em 2014 boa parte daquilo que vocês me pediram lá no choice de 2013 e é essa a razão para que eu ame tanto quando vocês participam e me dão esse feedback maravilhoso!  Mas vamos lá, os premiados são (sempre quis dizer isso, haha):






The Good Soldier veio esmagadoramente e levou o prêmio! Estou achando que vocês só escolheram pra ver se eu tomava vergonha na cara e continuava, né, admitam! HAHAHA Fiquei bastante realizada com a escolha dessa fiction para receber o prêmio, apesar de que eu tinha esperanças que First Love ganhasse (meus xodós, não foi dessa vez), achei merecidíssimo! Foi um dos temas que vocês pediram no choice anterior e essa escolha só mostrou que consegui alcançar aquilo que vocês queriam! Joana agradece com curvar delicado, Thomas leva a mão direita à testa dizendo um “Thank you, guys” e logo trarei a parte final (aaaaaaaaaaaaah) desses lindos, diretamente de 1943!







room13 chegou por último e levou o prêmio pra dizer que idade/tempo de postagem não quer dizer nada. Ultrapassou Dont Leave Us e Three years, que sinceramente, achei que brigariam pelo primeiro lugar! Dentre as razões que levaram à escolha, o tema de “Drama familiar” centrado apenas em Liam e sua mãe, deixando o relacionamento dele e Hanna como casal em segundo plano, gerou um certo “conforto” em quem estava lendo. Ocasionando em “perfeição em todos os sentidos, focar em um drama diferente e oferecer conforto na medida”, segundo um dos leitores. Então é isso aí, Moya, Liam e Hanna agradecem pela premiação!






As playlists vão ficar SIM! A maioria se identificou e até disse que baixou algumas das músicas indicadas, usando-as para ler ou até mesmo escrever e isso só me alegra ainda mais! Tivemos temas sugeridos como “amizade” e até sugestões de músicas, em sua maioria clássicas! Bom, eu vou fazer o possível pra tentar encaixá-las, eu juro!






As análises interpretativas foi algo que eu nem tinha intenção de colocar. Começou como uma review da colaboração da Raina e San-E que acabei falando de ângulos e cenas (Semiótica, sua linda) e vocês gostaram! Acabou que fiz de outros videoclips, como o solo da Raina e no post especial do Orange Caramel. Ficou decidido então que teremos mais análises de outras bandas ocidentais e de filmes também. Por isso, utilizem os comentários deste post para sugerir músicas, bandas, cantores, curtas e filmes. 






Tivemos decisão unânime nesse quesito e cheguei a conclusão que vocês amam saber da vida dos outros, hein, seus fifis? HAHAHA Brincadeira, gente! Fico feliz que a quantidade de posts pessoais não incomode vocês e aviso que a partir da semana que vem terá início um especial de posts pessoais. Isso aí, em Janeiro nós tivemos um especial de aniversário do blog e em março, nó teremos um especial do meu aniversário! Mas é só isso que eu adianto pra vocês, esperem até a semana que vem! :D







Só tivemos dois posts que abordagem cultura como tema, mas foi o suficiente pra atrair a curiosidade de vocês, acho isso lindo! Nosso querido Tobias Barreto agradece por aprovarem sua biografia e a cultura de sua cidade natal que hoje recebe o nome dele e eu, conterrânea desse autor maravilhoso, tentarei trazer mais sobre as obras dele, assim como autores e cultura de Sergipe, do nosso Nordeste e do Brasil como um todo! Quem você quer ver por aqui? Sugira nos comentários deste post e contribua para que Cultura seja mais abordado no blog!

Pois bem, é isso, meus queridos! Obrigada por cada voto, por cada sugestão, por terem reservado um pouco do tempo de vocês para opinarem e me ajudarem! 2015 já está cheio de pautas e vamos fazer esse blog juntos! :D

Especial post — Você tem amado da maneira certa?


         Não importa quantas vezes você veja um filme, ele vai sempre te trazer algo que você não viu antes. Já perdi as contas de quantas vezes assisti “À Prova de Fogo” (Fireproof, 2008 – Samuel Goldwyn Films e Affirm Films), mas da última vez que vi “por pedaços” na sessão da tarde, pude perceber exatamente uma coisa que nunca me tocara de forma tão profunda das outras vezes que vi. Algo relacionado a um sentimento muito falado, cantado e recitado pouco feito da maneira certa: o amor.
         Caleb Holt (Kirk Cameron) reclama para seu pai, pois tudo que fizera para salvar seu casamento com Catherine (Erin Bethea) está passando despercebido por ela; que por mais que ele demonstre querer continuar ao seu lado, ela diz olhando nos olhos dele que não o ama mais. John Holt (Harris Malcom) faz seu filho refletir sobre o real sentido do amor, perguntando à Caleb como ele julgaria aquela situação:


         Ao responder a própria pergunta e perceber o quão relacionado o seu problema e amor de Deus estavam, Caleb chega a ficar sem palavras e eu, em casa no meu sofá, cinco minutos antes de sair pra faculdade, também fiquei. É a coisa mais lógica que existe e ninguém nunca parou para analisar que, de fato, todos nós amamos errado. “Amamos” em momentos de felicidade, enquanto o outro estiver nos agradando e agindo de forma que nos faça bem. E isso se aplica a qualquer tipo de relacionamento, seja entre casal, pais e filhos, amigos... todas as formas de amor estão sendo vividas de forma errônea porque quando dizemos que será “na alegria e na tristeza” será só na alegria; Isso nos faz totalmente egoístas, porque nós amamos as outras pessoas para o nosso próprio bem e não para o bem de todos os envolvidos. Porque quando a melhor amiga começa a falar com alguém que não gostamos, então ela precisa parar de falar com aquela pessoa, caso queira continuar sendo sua amiga; Porque quando nós amamos o parceiro, dizemos “desde que você não faça isso ou aquilo”; Porque quando sua mãe te repreende sobre algo que você fez de errado, ela não é mais a sua mãe.
         Estamos confundindo amor com bem-estar e orgulho. Porque se de fato nós amamos, então não nos importaríamos de cessar uma briga ou evitar uma discussão. Não nos importaríamos de ir até o outro e dizer “me desculpe”; Não nos importaríamos de esperar um pouco mais para receber algo que queremos muito; Não nos alegraríamos quando alguém se dá mal em suas escolhas; Não sentiríamos ciúmes, não acharíamos que somos donos uns dos outros; não julgaríamos as decisões dos outros, mas as aceitaríamos. Se, de fato, nós amássemos da maneira que deveríamos, nenhum crime passional seria cometido; Filhos não iriam embora, irmãos voltariam a se falar. Preconceito não existiria, brancos, negros, pobres e ricos frequentariam os mesmos lugares.
         Por isso, é de extrema importância que se saiba o real sentido do amor para que este possa ser colocado em prática de maneira correta. E isso, a gente só consegue quando repousa os olhos em Deus. É nesse momento que a gente entende o real sentido da cruz e a razão a qual Jesus veio a este mundo. “Mas se Deus ama o mundo, por que tantas coisas ruins acontecem?” Porque ele nos dá escolha. Não somos bonecos, robôs, sims dos céus. Ele nos dá o direito de segui-lo por vontade própria, porque pudemos então entender qual a nossa missão enquanto filhos e seguidores. Não devemos amar porque vamos receber alguma recompensa, mas amar uns aos outros, estes merecendo ou não. Eles sendo ingratos ou não. Estes cuspindo na nossa cara ou não. Pois, Deus nos ama mesmo a gente não merecendo; Mesmo a gente o rejeitando; Mesmo a gente cuspindo em seu rosto

1 Coríntios 13. 4-8a
"Eu poderia falar todas as línguas que são faladas na terra e até no céu, mas, se não tivesse amor, as minhas palavras seriam como o som de um gongo ou como o barulho de um sino. Poderia ter o dom de anunciar mensagens de Deus, ter todo o conhecimento, entender todos os segredos e ter tanta fé que até poderia tirar as montanhas do seu lugar, mas,  se não tivesse amor, eu não seria nada. Poderia dar tudo o que tenho e até mesmo entregar meu corpo para ser queimado, mas, se eu não tivesse amor, isso não me adiantaria nada." 1 Coríntios 13. 1-3

Indicação #1 — A arte de escrever; Arthur Schopenhauer

Autor: Arthur Schopenhauer
Tradução: Pedro Süssekind
Páginas: 169 páginas
Editora: L&PM pocket
Arthur Schopenhauer (1788-1860) é um dos mais importantes filósofos alemães. Ele achava que o mundo nada mais era do que uma representação formada pelo indivíduo. Influenciou Freud, Nitzsche e Bergson com seu pessimismo foi o responsável por introduzir o budismo à metafísica alemã. Foi além do idealismo kantiano e tinha em Hegel seu principal opositor. Suas obras mais importantes são O mundo como vontade e representação (1819) e Parenga e Paralipomena (1851).Nesta antologia de ensaios recolhidos de Parenga Paralipomena, o leitor vai encontrar textos que trazem as mais ferinas, entusiasmadas e cômicas reflexões acerca do ofício do próprio Schopenhauer, isto é, o ato de pensar, a escrita, a leitura, a avaliação de obras de outras pessoas, o mundo erudito como um todo. São eles: "Sobre a erudição e os eruditos", "Pensar por si mesmo", "Sobre leituras e os livros" e "Sobre a linguagem e as palavras". Embora redigidos na primeira metade do século XIX, estes ensaios, ao tratar sobre o mundo das letras, os vícios do pensamento humano, as armadilhas da escrita e da crítica, continuam válidos – hoje talvez mais do que nunca. E, marca personalíssima do autor, são modernos, pulsantes de vida, de inteligência e humor.

Especial Post — saindo da rotina;

Uma palavra define minha vida nesse momento: cansaço. Apenas uma semana desde que as aulas começaram e essa vida de trabalho + faculdade já me presenteou com olheiras e muito sono. Inclusive, foi essa rotina louca que me impediu de comemorar os 5 aninhos de blog oficialmente no dia 29, me perdoem por isso. Mas apesar de tudo, três dias de descanso me foram concedidos no último fim de semana e neste post especial trago um pouco da experiência vivida por mim nesses dias. 


Nos dias 30, 31 de Janeiro e 01 de Fevereiro aconteceu o Carnaval da minha cidade, conhecida pelo "CarnaTobias" duas semanas antes do oficial. Consegui o meu primeiro credencial (♥), mas não compareci por opção mesmo. Me chefe me deu o direito de escolhar e optei em não ir. O meu fim de semana fora destinado ao retiro da igreja que papai e eu fazemos parte, a Igreja Presbiteriana Filadélfia. Seria o meu quinto retiro no Acampamento Aprisco do Carneirinho e eu não estava tão animada quanto deveria. A ideia inicial era ir apenas para descansar já que passei as férias inteiras trabalhando. 

Só digo que quebrei a cara. O retiro, em inúmeros aspectos, fora maravilhoso pra mim. Apesar de ter sido no mesmo lugar, pela quinta vez, sendo a segunda ficando na Cabana 02 (daqui a pouco tem meu nome na beliche ♥), tudo fora diferente. Fazia tempos que eu não me sentia tão bem; eu pude finalmente esquecer certos fantasmas do passado e não me preocupar com situações futuras; pude viver um dia de cada vez. E, mesmo que tenha me cansado fisicamente bem mais do que eu esperava, eu queria tudo de novo. Chorar tudo de novo, sentir tudo de novo, estar com todas aquelas pessoas mais uma vez. É incrível como Deus pode falar com você por meio de uma canção ou por atitudes de outras pessoas. E eu vivi isso naquelas três dias de retiro e, espero e luto, para continuar vivendo ao longo dos meus dias. 


"[...] Você foi tecido no ventre de sua mãe. Você não é um acidente. Não foi produzido em massa. Não é um produto de linha de montagem. Você foi deliberadamente projetado, especificamente dotado e amorosamente colocado neste mundo pelo Artesão-Mestre. Numa sociedade que tem pouco espaço para subordinados, essa é uma boa notícia... Num sistema que classifica o valor do ser humano pelo número de algarismos do salário dele ou pelo torneado das pernas dela, quero lhe dizer uma coisa: o projeto de Jesus é motivo de alegria!"²

Imagem: "Na Jornada com Cristo" LUCADO, Max. p 73; Mundo Cristão, São Paulo; 2013.
²:  Na Jornada com Cristo" LUCADO, Max. p 71; Mundo Cristão, São Paulo; 2013.