Poesia de sábado — Ansiedade de você;



ANSIEDADE DE TER VOCÊ


Sua pele... tão linda,
Assemelho-a a de maçã;
Teus lábios, eu imagino...
Ter sabor de hortelã.

Tem um corpo fascinante,
O cabelo como véu;
Um sorriso deslumbrante,
E os olhos cor de céu.

Carinhosamente te quero,
Pra ser minha, somente minha;
Por teu amor espero,
Vivendo de fantasias.

Se de ti alguém se aproxima,
É tamanha minha aflição;
Sendo um amigo que estima,
Pode roubar teu coração.

Apertar sua mão delicada,
Acariciar teu corpo tão lindo;
É o que tanto anelo, minha amada;
Te beijar e ainda te ver sorrindo.

Se disseres não me querer,
Meu coração será refúgio de melancolia;
Será fútil o meu viver,
Como o brilho d’uma estrela no dia.

Como um pássaro sem ninho,
Uma folha a vagar;
Uma brisa sem destino,
Assim serei se não me amar.
Serei algo desprezível,
De frívolo valor;
Causado por um amor sofrido,
Por não ser correspondido,
Pois o orgulho não deixou.



Escrito por: Rogério Santos.
 __________________________________________________________________________

    
Rogério Santos, entre 40 e 50 anos, mas num sou velho não, viu?! Representante comercial, radialista, escritor quando dá certo e pai da dona desse blog! Já fui poeta um tempo, mas o tempo agora é outro que me falta. Ah, tempo danado! 

― III Bienal do Livro de Itabaiana - SE;

Depois de muito lamentar por não ter ido na Bienal do Livro no Rio de Janeiro esse ano, uma luz surgiu no fim do túnel  a III Bienal do livro da cidade de Itabaiana, aqui no estado de Sergipe. Com alguns altos e baixos, ameaças de aula de reposição justamente no sábado que eu iria e uma rinite na madrugada de sexta para sábado, finalmente deu tudo certo e fui para essa bienal. [coros de aleluia inseridos nesse momento, por favor] E, é claro que eu não deixaria de contar pra vocês um pouco do que vi por lá.

A III Bienal o Livro, a maior manifestação cultural do Estado, aconteceu em parceria com o 4º Encontro de Escritores Sergipanos, então a programação era riquíssima, cheia de debates sobre literatura, brasileira e internacional. Já cheguei encontrando essa exposição de carros LINDA que me fez lembrar super de Marvel’s Agents of S.H.I.E.L.D. já que o Coulson é louco em carros antigos. Inclusive, tinha um carro vermelho lá que só foi olhar pra lembrar da lola. HAHA

Meu pai ficou super nostálgico lembrando do fusca que ele teve. HAHA

A beleza desses carros, somada ao efeito que o sol deu na parte de cima, olha que lindo!

Depois de fazer o cadastramento e ganhar um crachá de escritor por engano – e ter amado isso (os crachás de ‘escritor’ eram apenas para quem estava lançando/expondo seus livros), fui explorar. Tinham vários stands de editoras, livrarias, óticas [?] e as mesas de escritores divulgando seus livros. Fiquei bastante surpresa com a quantidade de autores locais, a grande maioria sendo lá de Itabaiana mesmo, afinal, a escrita por aqui onde eu moro é pouco escolhida – e até mesmo desvalorizada. 

Os nossos crachás maravilhosos, imaginem o quanto eu não surtei com o meu.

Vários escritores lançando e promovendo suas obras.

Cada mesinha dessa era um escritor exibindo as obras.
Nas oficinas tinham aula de música, cinema, desenhos, quadrinhos e etc. No tablado, apresentações de cantores, orquestras, grupos de dança, quadrilhas juninas, atrações culturais locais e teve até apresentação de dança de cosplay. SÉRIO! Tinham cosplays lá, achei o máximo. E as pessoas não ficam estranhando não, muito pelo contrário, elas adoravam e tiraram várias fotos.

Na oficina de música, eles explicaram a origem dos instrumentos e peculiaridades de cada um.

OLHA ESSES COSPLAYS! O cabelo do Super Choque parecia ser realmente o cabelo dele HAHA
E os escritores que como eu não estavam lançando ou divulgando obras físicas, estavam divulgando suas obras online por meio de cartõezinhos! Uma ideia bem prática a qual eu não tive antes de ir (lerdeza uhules). Em minha defesa, tinha pensado em algo mais elaborado, porém acabou não dando tempo. ;-;

Achei sensacional! Aproveitem e passem pelo tumblr desse rapaz. :D

Aprendemos com a bienal que podemos até ir com dinheiro para esses eventos, mas voltamos cheios de livros, sem nenhum tostão, dívidas no cartão de crédito e vários crushes. Comprei quatro livros, sendo "A aula de dança e outros contos" de uma autora lá de Aracaju! Finalmente consegui adquirir uma das obras de Julia Quinn que vocês tanto falam, um livro antiguíssimo sobre comunicação e Aghata Christie porque mundo do crime é mundo do crime, hein?

Olha essas compras maravilhosas e claro, marcadores! Marcadores são importantes.

Pra vocês que muito conhecem, mas pouco viram, olha amiga Elô aí! 

E olha só quem eu arrastei pra ir comigo! Papai voltou super animado para voltar a escrever!

Bem, meus queridos, é isso! A bienal foi MARAVILHOSA e eu não vejo a hora da próxima para ir de novo. Boatos que tem Feira Literária em Aracaju no início do mês que vem. A pergunta que não quer calar é: vamo ou bora?