Poesia de sábado — ...De Onde Virá o Socorro?

http://s7.favim.com/610/151010/beach-free-freedom-girl-Favim.com-3414774.jpg 
...De Onde Virá o Socorro?

 Há momentos em que os ventos sopram contrário e remamos contra a maré.
Os nossos esforços vão por água abaixo e todos temem o nosso fracasso, ninguém acredita que iremos conseguir cruzar a linha de chegada, nem mesmo nós próprios.

O fracasso é iminente. “Ele não vai resistir,”  “coitado!”
“vai se afogar neste mar turbulento, as ondas são muito fortes”. “ é o seu fim”.

É o que ecoa em nosso ouvido, são as vozes dos que nos cercam e até torcem por nós, mas a situação é crítica e  não se  têm muito o que fazer, não tem como ajudar, só olhar pra cima e clamar ao que tudo podes para que lhe der forças, coragem e sabedoria para continuar remando, e quem sabe, como que um milagre ele possa sair vivo no outro lado da margem.

Verdadeiramente, é isso que devemos fazer,  clamar por aquele que acalma a tempestade e manda nos ventos, ele nos  erguerá pela mão, nos fará andar por cima das águas e nos levará em segurança além da margem e contemplaremos uma linda praia, e seremos  abraçados por aqueles que torciam por nós e sofriam juntos, esperando um milagre acontecer.

E ainda comeremos peixe assado à beira-mar.
Elevo os meus olhos para os montes, de onde me virá o socorro? O meu socorro, vem do Senhor que fez os Céus e a Terra.


                                Escrito por: Rogério Santos

                                     06.11.15


 __________________________________________________________________________
Rogério Santos, entre 40 e 50 anos, mas num sou velho não, viu?! Representante comercial, radialista, escritor quando dá certo e pai da dona desse blog! Já fui poeta um tempo, mas o tempo agora é outro que me falta. Ah, tempo danado!

2 comentários
  1. Oi Sr. Rogério!
    Lindo texto! Muitas vezes nos desesperamos nessas tormentas sem saber o que Deus tem guardado pra nós, e que muita vezes é mais certo e necessário do que o que queremos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Priscila! Olha como demorei para responder? Perdão!
      Obrigado! Muitas vezes enxergamos só a curto prazo, o que de certo ângulo parece desesperador, mas aos poucos, ao vermos que a longo prazo será gratificante, percebemos o quanto éramos tolos.

      Obrigado pelo comentário e por apreciar o meu trabalho!

      Excluir