Poesia de sábado — Por que me censuras?

19:54


POR QUE ME CENSURAS?


Se contemplo tua beleza, me censuras;
Se não te olho, finjo não te ver, me censuras.
Se aprecio teu jeito afável de ser, me censuras;
Se não te ligo, não observo você, me censuras.
Se te acho educada, delicada, me censuras; Se não me comovo com suas gentilezas, me censuras.
Se digo que teu olhar me fascina, me censuras; Se demonstro não ser atraído por você, me censuras.
Se aperto tua mão, me censuras; Se não te cumprimento, me censuras.
Se te paquero, tento te conquistar, me censuras; Se não te ligo, não me aproximo, me censuras.
Se te falo dos meus sentimentos, me censuras; Se fico em silêncio sobre o assunto, me censuras.
Se me ver com alguém, me censuras;
Se quero está contigo, me censuras.
Se quero apenas sua amizade, me censuras.
Não sei por que me censuras!
Não te censuro por nada,
Nem por  me censurar por tudo.

                          Escrito por: Rogério Santos
                             25.08.1991

 ____________________________________________________________________________
Rogério Santos, entre 40 e 50 anos, mas num sou velho não, viu?! Representante comercial, radialista, escritor quando dá certo e pai da dona desse blog! Já fui poeta um tempo, mas o tempo agora é outro que me falta. Ah, tempo danado!

Leia Também:

0 comentários

ATENÇÃO:

O conteúdo aqui postado é de responsabilidade de seus respectivos autores e fica proibida a reprodução de qualquer publicação sem o consentimento dos mesmos e/ou sem os devidos créditos, sendo considerado PLÁGIO.

ARQUIVO DO BLOG