Poesia de sábado — Amor de mãe;

AMOR DE MÃE


Deus criou o primeiro homem, cuidou dele como um pai amoroso, deu-lhe domínio sobre tudo na terra, Fauna e Flora, mas em seu coração, faltava algo e Deus sabia disso, deixou que ele sentisse  esta necessidade, que sonhasse com algo muito precioso e ao ter, pudesse valorizar muito mais que tudo na terra.
 Enquanto dormia, O Criador deu-lhes  a mulher.
Ao acordar, impressionado com a preciosidade que seus olhos contemplavam, atordoado, pensara está sonhando... tocou-a e disse: “É osso dos meus ossos... e carne da minha carne”
Imagino a alegria de Adão a partir desse momento...
Mas o curioso é que Adão não teve o privilegio de desfrutar da mulher os efeitos deste Dom sublime de ser mãe, este cuidado incomparável, na esfera humana, um amor superado apenas pelo amor do próprio Criador. Aprouve a Deus derramar deste amor no coração da mulher quando se torna mãe, e cada ser humano depois de Adão e Eva tem recebido esta benção de ter uma mãe.
Este amor inexplicável e incondicional,
Amor verdadeiro, altruísta, incansável.
Amor de lágrimas, de dores,
Amor que ensina, que compreende,
Amor que suporta, que espera,
Amor que perdoa, que acolhe e acalma o coração aflito.
Amor que sabe sorrir, amor que diz tudo com o olhar:
Amor que acalma a tempestade com um abraço!
AMOR DE MÃE!


                                                                 Escrito por: Rogério Santos 
07.05.16


 ____________________________________________________________________________
Rogério Santos, entre 40 e 50 anos, mas num sou velho não, viu?! Representante comercial, radialista, escritor quando dá certo e pai da dona desse blog! Já fui poeta um tempo, mas o tempo agora é outro que me falta. Ah, tempo danado!
0 comentários
Postar um comentário