Poesia de sábado — O poder do abraço;


O PODER DO ABRAÇO


Quando as palavras já não fazem sentido.
Quando é muito sofrimento, e intensa a dor,
Quando na garganta fica preso aquele grito,
Quando aumenta o tormento e surge o pavor.

Quando a paixão tá matando por dentro.
Quando transborda o amor e a felicidade,
Quando são inexplicáveis os sentimentos,
Quando se está morrendo de saudades...

Quando a situação é muito boa ou muito ruim,
Quando o coração, apertado de tristeza ou alegria
Quando os olhares frente a frente comunicam-se
Quando a boca pára...  Sem palavras silencia...

Quando a melodia é no ritmo do pranto,
Quando o consolo não consegue consolar,
Quando a poesia perde a rima e o encanto;
Quando a música não dá pra ouvir, e cantar.

Quando  se está mui decaído o semblante
Quando a maior expressão dos olhos goteja,
O que poderá ser tão eficaz e  aconchegante?
Capaz de nutrir de esperanças e certezas?

Quando os lábios desabrocham um sorriso;
E entrelaçados os dedos apertam-se as mãos.
Quando se o toca o cabelo sobre um olhar fixo.
Quando surge o beijo ligando cada coração.

O que mais aquece o corpo e aproxima a alma?
De tudo que penso que digo, expresso e faço?
Tão poderoso que me anima; que me acalma?
Tão precioso e sublime, é o poder do  ABRAÇO!
      
               Escrito por: Rogério Santos
                   24. 10. 2016
____________________________________________________________________________
Rogério Santos, entre 40 e 50 anos, mas num sou velho não, viu?! Representante comercial, radialista, escritor quando dá certo e pai da dona desse blog! Já fui poeta um tempo, mas o tempo agora é outro que me falta. Ah, tempo danado!
0 comentários
Postar um comentário