O dilema de ser um escritor;

13:16




         Abre e liga o notebook, clica no ícone do word, arruma segundo as regras da ABNT. Encara a tela. O documento em branco te encara curioso, ansiando para saber o que você irá passar para ele.
         Mas nada acontece.
         As mãos se unem, a testa fica franzida, os olhos semicerrados.
Mas nada acontece.
Você decide relaxar o corpo. Os ombros caem, um longo suspiro sai dos lábios. Estica o pescoço, alonga os braços, estala os dedos.
E continua não escrevendo nada.

Abre o reprodutor de músicas, escolhe a sua melhor playlist de inspiração e se deixa levar pela melodia de quase todas ali presentes. Relembra quais textos escreveu ao som de cada música, gargalha ao lembrar de uma situação incomum que envolve a canção. Algumas até te induzem a dançar, mas aí você se lembra qual foi a verdadeira razão que te levou a reproduzir aquelas músicas.
Volta ao word e documento continua em branco. Curioso, ansioso, intimidador.

Percebe que talvez não consegue escrever porque está com fome (mesmo que isso não faça o menor sentido). Vai até a cozinha e traz todos os tipos de besteiras que encontrou por lá. Enche a pança e volta a abrir o word.

Mas o documento continua em branco. Lisinho, sem nenhuma palavra sequer.

Você começa a se sentir fracassado. Há três dias estava com tantas ideias que poderia escrever uma trilogia, mas não teve tempo de passar para o papel e achou que daria para guarda-las na mente até que finalmente pudesse escrevê-las.
Grande estupidez da sua parte.

As ideias se foram. Levadas pelo vento, escaparam no momento que você parou apenas um instante para assistir seu seriado favorito.

Frustrado, você decide dormir. Talvez uma boa noite de sono ajudará a lembrar das ideias esquecidas ou lhe dará novas. Veste o pijama, arruma o travesseiro, acomoda-se na cama. Os olhos fixos no teto, um suspiro leve escapa dos lábios e sua mente passa a divagar por um universo que até você desconhece.

E então elas ressurgem.

Novas e quentinhas, ideias brotam na sua mente como flores em meio a primavera. Quando você percebe, uma história inteira já está formada em sua cabeça e a única coisa que falta é passar para um papel. Mas você está tão acomodado, o computador parece tão longe, nem mesmo há uma caderneta por perto... talvez consiga guarda-las na cabeça, você só vai dormir, quando acordar elas ainda estarão lá...

Grande estupidez da sua parte.

E começa tudo de novo...

Leia Também:

6 comentários

  1. Quem nunca passou por isso que atire a primeira bolinha de rascunho descartado. É tão fácil de se identificar que eu fico sem saber se rio, fico brava ou sento na sarjeta e choro.
    "Percebe que talvez não consegue escrever porque está com fome (mesmo que isso não faça o menor sentido)." isso e "vou ali fazer um chá".
    Isso pra não falar de quando você acorda no meio da madrugada toda inspirada, sem lente, e não sabe se levanta ou se continua a dormir, pelo menos agora tenho me salvado com o evernote.
    Anyway, texto perfeito, resume perfeitamente a sina de um escritor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, siiiiim! HAUAHUAHAUH E como te falei, ontem eu abri o word porque eu PRECISAVA fazer um post. Mas passei por isso e resolvi descrever o meu desgosto por não conseguir escrever. :(
      Bom, eu já sou um pouco mais gorda "vou ali pegar um pacote de cookies" ou "vou ali fazer um brigadeiro" e etc UHSADUHADUSHA
      Isso quando não acontece de ter inspiração durante UMA PROVA. Bate um desgosto duplo, porque sabe que vai se ferrar na prova e não vai ter como escrever a ideia que tá pensando :~ triste vida!
      Obrigada, sua linda! Fico feliz que tenha conseguido passar como eu queria! <3

      Excluir
  2. Esse texto define a vida do escritor. Não sei o que é pior: não saber o que escreverou saber o que escrever e não ter a mínima disposição.
    Aliás, adorei o novo tema do blog. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lo! <3 Acho que a pior parte é saber o que escrever e não ter disposição. Porque aí a gente deixa pra depois e acaba enrolando, quando finalmente resolve escrever, não lembra mais e bate aquele desgosto e arrependimento! AHUAHAUHAUH

      Ai, 'tá lindo, né? <3

      Excluir
  3. Nossa, me encontrei nesse texto do começo até o fim! Quem nunca, não é mesmo?!
    Adorei o texto e a carinha nova do blog :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a nossa cara, né? Inclusive, estou vivendo isso nesse momento! HAUHAUAHUA
      Obrigada, fico feliz que tenha gostado dos dois! :D

      Excluir

ATENÇÃO:

O conteúdo aqui postado é de responsabilidade de seus respectivos autores e fica proibida a reprodução de qualquer publicação sem o consentimento dos mesmos e/ou sem os devidos créditos, sendo considerado PLÁGIO.

ARQUIVO DO BLOG