Resenha #24 — 'No seu pescoço'; Chimamanda Ngozi Adichie

12:00

no seu pescoço chimamanda ngozi adichie
Título: No Seu Pescoço
Autora: Chimamanda Ngozi Adichie
Tradução: Simone Lemberg Reisner
Páginas: 240 páginas
Editora: Companhia das Letras
Nos doze contos que compõe este volume, a premiada escritora Chimamanda Ngozi Adichie explora a colisão entre duas culturas e as consequências deste encontro para a alma humana. Impregnadas de beleza, tristeza e esperança, estas breves narrativas retratam um profundo esforço para reconciliar forças à primeira vista conflitantes. o resultado é a afirmação da literatura como espaço de troca por excelência.  

         Eu conheci o trabalho da Chimamanda quando li uma resenha de Americanah (2013) nesse mundo da blogsfera. Com a promoção de Dia da Mulher lançada pela Saraiva, aproveitei para comprar alguns títulos e fui sugerida pelo site para adquirir o No Seu Pescoço e, resolvi fazer o teste. Seria este o primeiro livro de contos que eu leria escrito por uma mulher.

         Para escrever contos você precisa saber escrevê-los. E Chimamanda sabe muito bem o que está fazendo nos 12 contos que completa o No Seu Pescoço. Confesso que o primeiro não me chamou muita atenção, vi-me confusa com muitos termos e localizações, mas do segundo em diante, foi surpresa atrás de surpresa. As histórias são completas e possuem uma imprevisibilidade impressionante, fazendo-me lembrar de um dos contos de Machado de Assis que mais gosto, intitulado “A Cartomante”. 


         Contos como “Réplica” e “A embaixada americana” nos mostram um pouco da dura realidade de países africanos, principalmente a Nigéria, e que não envolve diretamente a fome, como estamos acostumados a ver nos telejornais, portais da internet e vlogs de “voluntários”. O livro apresenta ainda feminismo e assédio, resistência em períodos de ditadura, conflito religioso e homossexualidade. 
    
[...] Uma pequena multidão se formara. Um soldado estava açoitando um homem de óculos com um longo chicote que serpenteava no ar antes de estalar sobre o rosto do homem, ou sobre seu pescoço, ela não tinha certeza, pois as mãos dele estavam erguidas, como se ele quisesse afastar o chicote. Ela viu quando os óculos do homem escorregaram e caíram no chão. Viu o calcanhar da bota do soldado esmagar a armação negra, as lentes escuras. [...] (A embaixada americana, p. 140)


         O conto “No Seu Pescoço”, que dá nome a obra, conta a história de uma nigeriana (que no enredo é tratada na segunda pessoa, como se nós leitores fôssemos a personagem) que vai para os Estados Unidos viver com o tio. As quatorze páginas do conto são de tirar o fôlego com a jornada da personagem principal e nos leva a uma reflexão sobre o preconceito (às vezes velado, às vezes escancarado) que temos nas Américas com estrangeiros de cor. A jornada de uma mulher negra sem recursos tentando ascender na vida, relações inter-raciais.

         No Seu Pescoço é uma leitura quase obrigatória para todos nós que acreditamos ter empatia e conhecer o outro. É necessário pensar em todas as variáveis antes de conceber um (pré)conceito a respeito da vida do outro. Chimamanda consegue, menos de 300 páginas, fazer-nos rir, chorar, refletir, sensibilizar e mudar.

Mudar, sobretudo, quem somos como seres sociais.

Leia Também:

0 comentários

ATENÇÃO:

O conteúdo aqui postado é de responsabilidade de seus respectivos autores e fica proibida a reprodução de qualquer publicação sem o consentimento dos mesmos e/ou sem os devidos créditos, sendo considerado PLÁGIO.

ARQUIVO DO BLOG

ACOMPANHE NO INSTAGRAM: @APENASFUGINDO