Livros lidos 2018

2018 foi um ano de várias mudanças na minha vida. E iniciando o ano com a promessa de ter mais tempo para mim mesma, coloquei uma meta de leitura um pouquinho maior do que as anteriores: Depois de dois anos seguidos lendo um livro por mês e, em 2017, aumentando para 18 títulos no ano, este que se finda me rendeu 21 leituras. 

Confesso que, inicialmente, coloquei uma meta de 24, sendo dois por mês. Mas, como diria Joseph Climber, a vida é uma caixinha de surpresas. Porém, estou feliz com meus 21. A postagem de hoje reúne os livros que li este ano, alguns até já apareceram por aqui. Preparado(a) para esse post que será enorme?


1 - 'Na minha pele' de Lázaro Ramos


Comecei o ano com esse impacto de livro. Citando Lucas Almeida, mais uma vez, o único problema desse livro é que ele acabava. Já trouxe uma resenha mais detalhada do livro por aqui, mas vale reiterar: necessário demais, seja para pessoas negras ou não. É preciso entender que Lázaro ter chegado onde chegou só reforça a regra. Só reforça o quanto ainda temos muito a caminhar. 

2 e 3. 'Como agarrar uma herdeira' e 'Como se casar com um marquês' de Julia Quinn

Todo mundo por aqui já sabe que eu li MUITOS livros da Quinn. Somando a série Os Bridgertons e o Quarteto Smythe-Smith são 13 livros. Como agarrar uma herdeira e Como se casar com um marquês trazem o mesmo de sempre, personagens cativantes e o mesmo estilo de narrativa apresentado nas demais histórias da autora. A essa altura, depois de tantos livros, confesso que enjoei um pouco...

4. 'A vida que enterramos' de Allen Eskens

Já apareceu por aqui também e foi uma das minhas poucas vitórias comprando livros que nunca ouvi falar, seja da obra ou do autor. O romance de estreia de Allen Eskens prende bastante a atenção e para mim, que ainda estou iniciando nos livros de suspense e investigação, a narrativa é bem construída e amarrada. Foi uma descoberta e tanto para 2018.

5. 'A jogadora de xadrez' de Bertina Henrichs

Comprei na Bienal do livro de Itabaiana no ano passado com muita expectativa... mas me decepcionei! A história gira em torno da paixão de Eleni pelo jogo do xadrez e seu desejo de aprender a jogar. A narrativa é parada, sem muita ação ou plotwists, eu acabei o livro esperando algo de extraordinário e, também, porque não sou muito fã de abandonar leituras. A jornada de Eleni até o seu objetivo é legal e tal, mas não me prendeu muito.

6. 'Jornalismo Incorreto' de Marilene Felinto

Presente de anos atrás, finalmente dei uma chance a este livro. Com crônicas dos anos 1990 e início da década de 2000, não poderia ser mais atual. Marilene é sem papas na língua e apresenta a realidade política da época de maneira visceral. Discordei de algumas coisas ditas por ela (achei que, alguns relatos foram preconceituosos) mas isto não diminui a sua relevância e o quanto mudei a minha visão após esta leitura.

7. 'Lady Whistledown contra-ataca' de Julia Quinn, Suzanne Enoch, Karen Hawkins e Mia Ryan

Presente de natal do ano passado, gostei muito da forma como as quatro histórias se encaixaram no final. Apesar de Quinn ser a mais famosa das quatro autoras reunidas nesta obra (e ter o nome em destaque na capa do livro), achei que a história retratada por ela foi a mais apagada e porque não artificial. Na minha opinião, as demais autoras deram um show, principalmente Karen Hawkins, que encerra a narrativa. 

8. 'No seu pescoço' de Chimamanda Ngozi Adichie 

QUE LIVRO. QUE. LIVRO. Ouvi falar demais da Chimamanda e meu sonho de consumo é ler o "Americanah", mas em épocas de vacas magras e promoções na Saraiva, o No seu pescoço foi o escolhido e MEU DEUS! Uma das coisas que mais gostei foi conhecer um pouco da literatura africana através da autora, além das narrativas curtas, porém, profundas, tratadas neste livro. Chimamanda é conhecida também por obras como "Para educar crianças feministas" e "Sejamos todos feministas" títulos que pretendo adquirir e ler no ano que vem.

9. 'Os delírios de consumo de Becky Bloom' de Sophie Kinsella 

Grande fã do filme, comprei o livro numa promoção da Saraiva e gostei MUITO mais da narrativa. Aparentemente, o filme foi uma junção de várias situações dos três livros, deixando tudo um pouco confuso. A jornada de Becky Bloom é muito mais pessoal e íntima, não tendo muito a ver com seu par romântico, como foi mostrado no filme. 

10. 'O lar da senhorita Peregrine para crianças peculiares' de Ransom Riggs

Presente recebido no ano passado (Oi, Heleninha) só esse ano tomei vergonha na cara e devo dizer que gostei muito, devorei em menos de uma semana. O mistério envolvendo a casa, a garota, como tudo aconteceu e a ligação de Jacob com o seu avô deixam o livro muito mais emocionante. Confesso que não li antes por achar que era terror (medrosa sim), mas depois de algumas conversas, decidi dar uma chance e curti muito. 

11. 'Cidade dos Etéreos' de Ransom Riggs

Não tão emocionante quanto o primeiro, li Cidade dos Etéreos em sequência (fui doida na livraria comprar), mas me decepcionei um pouco. A narrativa parece maçante e as coisas ficam mais lentas que o livro anterior. Porém, gostei como o dilema de Jacob foi apresentado, afinal, apesar de todas as problemáticas, embarcar naquela jornada foi uma decisão difícil para o garoto de 16 anos. Vamos ver se a sequência desta história se encaixa em 2019.

12. 'A maldição do tigre' de Colleen Houck

Já tinha ouvido falar de A saga do tigre, série de Colleen Houck, mas só esse ano tentei a leitura. A narrativa é boa e os elementos de cultura indiana são INCRÍVEIS e prendem muito a atenção. Na condição de leitor(a), a gente fica ansioso para saber como nossos principais irão conseguir o que desejam. Mas o romance quebra um pouco disso, principalmente no livro seguinte. Empaquei em "O destino do tigre" e já tentei diversas vezes continuar, mas não consigo. Kelsey e sua insegurança incomodam (e muito!) e o fato da principal não ter nada de atrativo, porém, chamar a atenção de TODOS os homens, é levemente irritante. (Tenho outros problemas com o livro, mas enfim kk)

13. 'Só a gente sabe o que sente' de Fred Elboni

Assisto o Fred no YouTube vez ou outra e decidi dar uma chance a um dos seus livros. São crônicas legais, nós nos identificamos, principalmente com as mais tristes, mas na minha concepção, acabam sendo repetições de clichês com palavras mais bonitas e elaboradas. Não sei, talvez seja só um "rancinho", mas dá a impressão de que todos os textos possuem a mesma fórmula, com o mesmo estilo de narrativa que busca mulheres solteiras ou recém saídas de um relacionamento como público-alvo. Gostei do livro, mas não sei se leria outro dele.

14. 'Para todos os garotos que já amei' de Jenny Han

Sim, eu me rendi a modinha! Vi o hype com relação a esse livro, mas só depois do trailer liberado pela netflix que eu tive interesse nessa leitura. Como sempre, gostei muito mais do livro do que do filme, achei que certas coisas foram mal encaixadas no filme, enquanto no livro foram bem construídas. Além do mais, foi a minha primeira leitura com personagem principal coreana. E eu achei incrível como a autora inseriu questões raciais de modo sutil.


15. 'Fuga Falha' de Mari Lima

Autora sergipana em 2018 SIM! A resenha de Fuga Falha está presente aqui no blog e eu fico feliz em apoiar a Mari nesse projeto. Reiterando o que já falei, a gente, na condição de leitor(a), pode ficar receoso por conta da idade da autora (que tem 14 anos), mas o livro surpreende e prende a atenção, dentro de suas limitações. Como eu também já disse, a autora é promissora e nós iremos vê-la crescendo nesse ramo!

16. 'A Protegida' de Lisa Kleypas

Parte de um presente incrível que ganhei este ano (Oi, Cecê 💜), a trilogia The Travis Familly me apresentou Lisa Kleypas de um jeito bem legal. Pretendo fazer resenha de todos no ano que vem, mas adianto que o primeiro da série é cativante e as personagens principais são muito divertidas e profundas. 

17. 'Antologia de Prosadores e Poetas Brasileiros Contemporâneos - Ed. 2018' de Porto de Lenha Editora

O que dizer desse livro com um dos meus textos? HAHA Fiquei imensamente feliz de conhecer novos(as) autores(as) brasileiros(as) e a iniciativa da Porto de Lenha em reuni-los(as) num livro é incrível. Mesmo que não tenha ganhado, só a oportunidade já me deixou muito feliz e grata. Na leitura, achei interessante que a maioria dos contos e poesias eram tristes e melancólicos. Nós escritores(as) usamos a bad para bons textos, não é? :P

18. 'Histórias não (ou mal) contadas: Escravidão do ano 1000 ao século XXI' de Rodrigo Trespach

Conheci as obras de Rodrigo Trespach através do meu namorado, que já sabe o meu amor por história e me mandou fotos do livro sobre Segunda Guerra Mundial. Aproveitando promoções, comprei este sobre Escravidão e praticamente DEVOREI o livro. É INCRÍVEL! Cada capítulo é completo, sem ficar cansativo e as referências demonstram todo o conhecimento e preparo do autor. Já tem livro dele na lista de 2019. 

19. 'A Redenção' de Lisa Kleypas

Li inteiro em UM DIA. Sério. O segundo livro da série The Travis Familly traz um tema bem comum e pesado que é um relacionamento abusivo, seja ele parental, amoroso ou até mesmo uma amizade. Eu me vi de coração apertado e com lágrimas nos olhos em diversos momentos e a autora conseguiu passar a dor que é um relacionamento como este e todas as marcas e traumas que um abuso deixa.

20. 'A Busca' de Lisa Kleypas

Acho que o segundo livro da série foi tão impactante que o último acabou ficando ofuscado. A história é bem legal e a questão da busca também foi um plot interessante, mas achei que foi um pouco parado e até mesmo tedioso. O sexo entre o casal foi muito mais abordado que nos demais livros, dando a entender que era usado como uma maneira de prender a atenção e fazer com que o(a) leitor(a) permanecesse na leitura. Porém, num geral, é uma leitura divertida.

21. 'Matilda' de Roald Dahl

EU AMO O FILME DOS ANOS 1990. Peguei emprestado da biblioteca do meu trabalho e devorei a leitura. Apesar de ser indicado para crianças, tem o mesmo estilo dos filmes da Disney: a gente chora junto, ri junto e aprende DEMAIS. Foi a melhor maneira de encerrar as leituras do ano.

Esses foram os livros lidos deste ano! Espero que a lista aumente em 2019 e que a diversidade de gêneros também cresça, afinal, estamos aqui para conhecer autores e autoras, brasileiros(as) e internacionais, com seus contos, crônicas, poesias e narrativas incríveis. 

Quais foram os seus livros de 2018?  Conta aí. :)

Você também pode gostar:

4 comentários

  1. Para educar crianças feministas" e "Sejamos todos feministas" estão na minha listinha também! Parabéns amiga! Você arrasa demais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amo, a gente vai ler esses livros e compartilhar experiências no ano que vem <3
      Obrigada, migaaaa!

      Excluir
  2. ARRASOU DEMAIS, GENTE! Sério, adorei a sua lista! Não conheço a maioria dos títulos, mas dá pra ver que você leu muita coisa boa, de vários gêneros diferentes e tal. Destaque para "Delírios de Consumo da Becky Bloom", que é uma das minhas séries preferidas (tenho dois dos livros, li três da série e ainda quero ler o resto!).

    "O lar da senhorita Peregrine para crianças peculiares" está na minha lista para o ano que vem, por um motivo bem simples... Uma tia minha me deu o quarto livro da série de presente de Natal, capa dura e tudo. Acho que ela não percebeu que era o quarto hahaha! Felizmente, minha irmã tem o primeiro, então, vou ler e ver se vale a pena correr atrás dos outros dois e tal. Pela capa, até que chama a atenção, mas me desanimei um pouquinho com a sua resenha sobre o segundo e com os comentários da minha irmã sobre o primeiro. Também nunca quis ler por achar que ela terror, mas já que aparentemente não é... Vamos nessa haha

    Por falar na minha lista, estou com vergonha dela, perto da sua. Esse ano foi uma tragédia para mim, em termos de leituras. Tinha só 12 livros na meta, e acabei lendo só a metade deles, ugh! Mas é aquilo que você disse: a vida nos surpreende. Eu fiz um monte de coisas esse ano que não esperava fazer (publicar um livro, concorrer ao mestrado, virar trouxa...). Aí as leituras ficaram meio de lado. Mas vamos esperar que 2019 seja melhor! Pras nós duas, claro. Melhor é sempre melhor (?)! 8D

    Aaah! Já ia me esquecendo: recomendação! Se puder, tenta ler "Fazendo Meu Filme" (Paula Pimenta) no ano que vem! É o meu livro preferido da minha autora brasileira preferida! Se gostou de "Delírios de Consumo da Becky Bloom", tenho certeza de que você vai se apaixonar por esse livro, tanto quanto eu! É muuuuuuuito amor envolvido. ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAHAH
      Eu tenho muita vontade de ler o restante dos livros da jornada da Becky Bloom, mas ainda não tive a oportunidade. Quem sabe eu consiga comprar esse ano... quando eu estava fazendo o post foi que notei a diversidade de gêneros, pois nem foi proposital, só fui incluindo e lendo HAHAHAHA no final, foi bem legal diversificar um pouco e até sair da minha zona de conforto, né? :P

      Ah! Mas esse ano foi mais "tranquilo" para mim, por isso acabei lendo mais livros, é normal, miga! Na época da faculdade, por exemplo, eu li 12 livros por ano por três seguidos, só ano passado eu consegui aumentar para 18 e agora para 21.

      Eu nunca me interessei muito por esse "Fazendo Meu Filme" sempre achei que era meio adolescente, mas vamos ver, vou dar uma olhada depois. :P

      Excluir